Arquivo da categoria: Tecnologia

Apple lança novos iMacs em evento nos Estados Unidos

Produto possui o display de maior resolução do mundo e tem versões disponíveis a partir de US$ 2.499 nos Estados Unidos


A Apple lançou nesta quinta-feira os novos modelos de seus computadores pessoais de mesa ou desktops: os iMacs. Em um evento especial, destinado à imprensa, a companhia americana apresentou modelos com tela de retina e com capacidade de resolução de 5K – sete vezes maior que o Full HD. A versão mais simples do produto, que chega ao mercado americano nesta quinta-feira, deve custar US$ 2.499 (cerca de R$ 6 mil).

Segundo a Apple, o produto possui o display de maior resolução do mundo, alimentando 14,7 milhões de pixels ao todo. A tela de 27 polegadas terá a resolução de 5210 x 2880 pixels. “Estou tão excitado. Nunca houve um display de desktop como esse que permite um nível de detalhes tão impressionante”, disse Phil Schiller, vice-presidente de marketing da Apple, durante a apresentação. A tela do novo iMac possui 5 milímetros de espessura.

A máquina será equipada com as tecnologias Thunderbolt 2 e 1 TB de Fusion Drive, o sistema de armazenamento dinâmico da Apple que combina SSDs e HDs. O novo iMac é movido por processadores Intel, que começam no i5 com 3,5 GHz e vão até o i7 com 4 GHz. O chip gráfico é da série R9, produzido pela AMD. O modelo mais barato vem de fábrica com 8 GB de RAM.

Os novos produtos surgem pouco mais de um mês após o lançamento do iPhone 6 e do iPhone 6 Plus, e como foi com seu ‘irmão menor’, os computadores vem com o novo sistema operacional Yosemite OS X e melhorias em seu hardware.

O Mac Mini, que estava sem novidades desde 2012, também foi atualizado com uma nova versão do processador do produto, que agora usa a quarta geração de chips Intel com HD Graphics 5000 Iris. O aparelho será vendido a U$ 499 (cerca de R$ 1.200).

Com o lançamento, as antigas linhas de iMacs foram mantidas no mercado. Como as novidades tem valor semelhante ao que era cobrado pelo últimos modelos do mercado, os preços das versões anteriores, com 21 ou 27 polegadas, serão baixados. Todos os novos produtos começam a ser comercializados nos EUA nesta quinta-feira.

Ao encerrar o evento, o CEO da Apple, Tim Cook, agradeceu a presença de todos e lembrou Steve Jobs, usando sua célebre frase que diz que o que foi lançado “é apenas o começo”. “Essa é a nossa visão de uma tecnologia pessoal. E nós estamos apenas começando”.

Mac OS X Yosemite


Em uma das apresentações mais engraçadas da noite, o vice-engenheiro sênior da Apple, Craig Federighi, mostrou a nova versão do sistema operacional para computadores, o Mac OS X Yosemite. Mostrado pela primeira vez em junho deste ano, o programa estava disponível apenas como testes até o momento.

De todas atualizações mostradas nesta terça-feira, esta foi a que teve apresentação mais longa e, assim, tida como a mais significativa para os novos produtos da Apple. O sistema operacional apresenta a sincronia do computador com os produtos móveis da Apple: iPhone, iPad e Apple Watch – que será lançado em 2015, promete Tim Cook.

Esse sistema de continuidade, o Continuity, permite trabalhar em uma foto ou documento em um iMac, iPad ou iPhone, além de ler mensagens SMS e atender chamadas no desktop. Federighi mostrou o sistema de ligação do OS X Yosemite, ao fazer uma ligação telefônica para o apresentador de talk-show, Stephen Colbert.

O convidado de honra ainda brincou sobre a demora no lançamento do Apple Watch.

“Volte ao trabalho! Sabe o que eu vejo quando olho para o meu pulso? Meu pulso! Cadê o relógio. Agiliza! Eu quero joias”, disse Colbert que substituirá David Letterman como apresentador do ‘Late Show With David Letterman’ a partir de 2015, o atual primeiro colocado entre os entrevistadores nos Estados Unidos.

Em seguida, Federighi mostrou que consegue usar o Apple Watch para rodar apresentações do Keynote por meio do relógio.

Final da Copa do Mundo tem 32,1 milhões de tuítes

O maior templo do futebol foi palco do fim de um jejum de 24 anos sem título mundial da seleção alemã

Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

A final da Copa do Mundo no Brasil entre Alemanha e Argentina gerou 32,1 milhões de tuítes. Segundo o Twitter, a partida disputada na tarde de domingo no Estádio do Maracanã que teve a vitória da Alemanha com um gol na prorrogação marcado por Mario Götze, não superou os 35,6 milhões de registros no microblog feitos durante a derrota do Brasil para a Alemanha pelas quartas de final, sendo o jogo mais tuitado da história.

No entanto, a final teve um novo recorde de tuítes por minuto (TPM) com 618.725 TPMs, com a vitória alemã na prorrogação. O recorde anterior era também na partida Brasil 1 x 7 Alemanha, com o gol do volante alemão Sami Khedira. Outros picos de TPM da final da Copa foi o gol de Götze (556.499) e o momento que o jogador argentino Lionel Messi recebeu o troféu de melhor jogador da Copa (395.773).

Os três jogadores da Alemanha mais citados na rede social foram: o autor do gol Mario Götze, o goleiro Manuel Neuer e o meio-campo Christoph Kramer – que saiu da partida após uma trombada com um jogador argentino. Pela seleção Argentina, Messi foi mais citado, seguido do atacante Gonzalo Higuaín e o volante Javier Mascherano.

O microblog ainda permitiu aos tuíteiros do mundo escolher as cores dos finalistas que iluminariam o Cristo Redentor por mais tempo usando as hashtags #BraçosAbertos ou #ArmsWideOpen. Na véspera da final, o monumento foi colorido com as cores da Alemanha e da Argentina numa disputa acirrada.

Entre os tuítes que mais tiveram interação durante a partida estão o do atacante da seleção alemã Lukas Podolski, da cantora Shakira, do astronauta Reid Wiseman, da cantora Rihanna e do ex-jogador de futebol Pelé.

Voltado para jovens, LG L70 tem dois chips e Android KitKat

O L70 da LG foi lançado em maio como parte da linha “popular” de smartphones da marca, com preço abaixo de R$ 1 mil. Anunciado junto a mais sete celulares da linha LIII, o modelo se mescla no mercado: não é um top de linha e nem um celular ruim. É um smartphone de desempenho razoável, que cumpre o objetivo de funcionar como a porta de entrada da LG para os jovens consumidores.

Como principal chamariz para esse público, o L70 tem suporte para dois chips, característica que se tornou estratégia comum das fabricantes para os países emergentes. O bom é que ele também vem atualizado para a última versão do Android, a 4.4 KitKat.

Foto: Marina Tsutsumi / Terra
publicidade

Durante os testes, a tela touch de 4.5 polegadas demorou um pouco para responder aos toques dos dedos em algumas ocasiões. O display conta com resolução WVGA (480 x 800 pixels) – não é a melhor para assistir a vídeos, mas tem uma boa visualização. O alto-falante na parte frontal superior do smartphone é potente.

Completam as especificações do aparelho um processador dual-core de 1.2 GHz, memória RAM de 1 GB e 4 GB de memória interna, que podem ser ampliados até 32 GB via cartão micro SD. A bateria é de 2040 mAh.

A LG acertou em diversos recursos do L70. Ele tem, por exemplo, rádio FM, que, apesar de ser uma função simples, é deixada de lado em muitos celulares. Uma ótima opção para os jovens, além das músicas em MP3.

O Knock Code também foi adicionado ao modelo e aos seus irmãos da linha LIII. O recurso permite que o usuário crie um código de segurança no quadrante da tela. Diferente das senhas com números, o código é mais personalizado e seguro.

A câmera de 8 MP adiciona pontos positivos para o smartphone. Ela não dispõe de uma variedade de recursos inúteis, mas apresenta poucas funções úteis, como temporizador, panorâmica, ajuste de ISO e de foco, alguns efeitos e, para momentos mais descontraídos, disparo automático quando a pessoa diz “xis”. Vale lembrar também da opção Fast Snapshot, que aciona a câmera quando a tela está desligada toda vez que a pessoa segura o botão de diminuir o volume por dois segundos.

A interface um pouco poluída pode incomodar alguns usuários, mas, para quem já está acostumado com os celulares da LG, o visual do L70 e os aplicativos adicionados pela fabricante no Android não serão novidades.

Em comparação com o modelo similar da Motorola, o Moto G Dual, as especificações são praticamente as mesmas. A LG sai na frente com uma câmera mais potente, enquanto o Moto G tem sensor de 5 MP. No entanto, o Motorola tem um Android mais limpo, melhor resolução de tela e alguns detalhes que podem conquistar o usuário, como a possibilidade de tirar fotos tocando em qualquer ponto da tela. O LG tem um design mais clássico, com traseira texturizada e surpreende pela leveza (pesa 133,2 g). Ambos os modelos custam R$ 699. Resta ao consumidor escolher o que melhor se ajusta ao seu uso.

Google tirará Orkut do ar até o fim de 2014, diz jornal

O Google deve tirar a rede social Orkut do ar até o fim deste ano, de acordo com informações publicadas pela Folha de S. Paulo nesta segunda-feira. A partir de hoje, novos perfis não poderão ser criados e usuários antigos terão um período para exportar seus dados, como fotos e scraps. Uma ferramenta também deverá transferir o perfil do Orkut para o Google+, rede social criada em 2011.

O serviço deve ser extinto até o fim deste ano. Segundo o jornal, nem mesmo o endereço orkut.com deverá ser mantido pela empresa, já que o engenheiro criador da rede social, Orkut Büyükkökten, deixou o Google há quatro meses e pretende manter o controle sobre o domínio. As comunidades, um dos atrativos do Orkut, devem ter tratamento diferente. Parte delas não será apagada, mas mantida de forma estática, como uma espécie de museu do serviço.

Nasa consegue testar nova tecnologia para pousar em Marte

Balão de alta altitude testa tecnologia que poderia ser usada para pousar em Marte

Foto: NASA / AP

Depois de vários adiamentos pelo mau tempo, a Nasa enviou um disco voador para a alta camada da atmosfera terrestre, neste sábado, para testar uma tecnologia que poderá ser usada para aterrissar em Marte.

A experiência foi, em parte, malsucedida, devido ao mau funcionamento de um paraquedas.

O enorme balão inflado com hélio foi lançado às 17h40 (horário de Brasília), da base militar da ilha havaiana de Kauai, 25 minutos após a abertura da janela de lançamento – como mostraram imagens transmitidas ao vivo pela televisão americana.

O artefato transporta um objeto em forma de disco, o Desacelerador supersônico de baixa densidade (LDSD, na sigla em inglês).

O balão atingiu os 36.600 metros após duas horas e meia. Quase 15 minutos depois, a nave de teste em forma de disco foi lançada, com o acionamento de sua propulsão para chegar a 54.900 metros de altitude, a 3,8 vezes a velocidade do som (4.651 km/h).

Foi nesse momento que começou o teste da nova tecnologia, o Desacelerador supersônico aerodinâmico inflável (Siad, na sigla em inglês). O Siad se posicionou para frear a nave até uma velocidade de aproximadamente 2,5 vezes a do som (3.060 km/h) antes de abrir um enorme paraquedas supersônico.

Até aí, tudo saiu conforme programado. O único problema foi o gigantesco paraquedas de 34 metros de diâmetro.

“O paraquedas se abriu, mas não estava totalmente estendido”, afirmou Dan Coatta, um dos membros da missão, entrevistado pela Nasa TV alguns minutos depois.

A Nasa pretende realizar outros dois voos do LDSD para testar as duas tecnologias – de freio e de aterrissagem – com seu desacelerador inflável e com o balão. Apesar da falha, a agência espacial manifestou sua grande satisfação com o teste, que custou cerca de US$ 150 milhões.

Desde a década de 1970, a Nasa utiliza o mesmo sistema de paraquedas para frear seus trens de pouso e robôs que aterrissam no Planeta Vermelho, à medida que penetram a fina atmosfera marciana.

A nova tecnologia está sendo testada em alta altitude, devido à semelhança de condições com a atmosfera superior de Marte, a termosfera.

Relógio, TV e Auto: Google anuncia “pacotão” de novidades

O vice-presidente para Android, Chrome e Apps do Google, Sundar Pichai, mostrou os desenvolvedores brasileiros que estavam acompanhando o evento por streaming ao vivo

Começou a conferência de desenvolvedores do Google em São Francisco, Estados Unidos, e com ela, veio uma enxurrada de novidades da empresa, como uma prévia do próximo Android e o sistema Android Wear para smart watches. Confira abaixo as principais novidades anunciadas durante a abertura do Google I/O.

Android One
Depois de ter anunciado que o sistema operacional Android atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativos por mês, o vice-presidente para Android, Chrome e aplicativos do Google, Sundar Pichai, disse que a gigante da internet quer atingir “as outras 5 bilhões de pessoas no mundo”.

Para isso, a companhia lançou o programa Android One, que, em parceria com fabricantes de hardware, vai levar smartphones para mercados emergentes. Primeiramente, smartphones da Micromax, Karboon e Spice serão lançados na Índia. Os celulares terão especificações básicas, como dois chips, tela de 4.5 polegadas e rádio FM.

Android L
O próximo Android depois do KitKat é por enquanto chamado de “L” (a empresa os classifica em ordem alfabética). A companhia está focando em uma aparência totalmente redesenhada para o sistema, e pela demonstração, ficou claro que o Android terá um visual mais sofisticado, com mais profundidade, além de cores e animações mais elegantes. A ideia é que com a nova linguagem de design, batizada de “Material Design”, os desenvolvedores criem aplicativos com um visual unificado para qualquer dispositivo, similar ao que a Apple faz.

Outra novidade é que a versão terá suporte a processadores de 64 bits, como o Apple A7 usado no iPhone 5S. Isso vai permitir que o sistema suporte aparelhos mais poderosos. O Google também anunciou o Project Volta, que inclui melhorias para uma maior duração da bateria, incluindo um modo de economia que promete estender o uso do celular por mais 90 minutos.

O Android L também terá um desempenho melhor, reforços na segurança contra malwares e um recurso inteligente para desbloquear o celular. O smartphone poderá ser desbloqueado sem senhas ou pins quando reconhecer que está em um ambiente seguro, “sentindo” que um smart watch está por perto ou que está conectado à rede Wi-Fi de casa. Caso isso não ocorra, ele mostra uma tela para digitar uma senha.

Android Wear
Em março, o Google já havia liberado uma prévia do kit de desenvolvimento de aplicativos para smart watches com o Android Wear, sistema operacional específico para os gadgets vestíveis. Agora, o kit foi liberado completamente e dois modelos de relógio com o novo sistema foram lançados na Google Play: o LG G Watch e o Samsung Gear Live.

O Google I/O acontece no Moscone Center em São Francisco, Califórnia (EUA)

Foto: AP

Com o Android Wear, os smart watches serão capazes de mostrar e vibrar quando houver notificações, tocar músicas, sincronizar aplicativos entre o relógio e o celular, medir batimentos cardíacos e contar passos, entre outras funções. Pelo Google Now, também será possível utilizar comandos de voz para acionar diversos aplicativos, desde alarmes até para pedir comida para entrega.

Android Auto
Em resposta ao CarPlay da Apple, o Google lançou o Android Auto, sistema operacional que leva funções do smartphone para o carro. Pelo comando de voz do Google Now, o usuário consegue interagir com o software para usar a navegação em mapas, enviar mensagens e trocar de faixa musical, por exemplo.

Segundo a empresa, os primeiros carros com o software serão lançados até o final de 2014. Ao todo, 25 montadoras vão utilizar o Android Auto, como Volvo, Chevrolet, Audi, Honda, Hyundai e Volkswagen. Aplicativos de terceiros também vão funcionar no sistema com comando de voz, como Spotify e Pandora.

Android TV
Outro novo sistema operacional do Google foi lançado, mas para as TVs. O software Android TV será usado em Smart TVs de fabricantes como Sony, Sharp, Philips e TPVision. Com a novidade, será possível assistir a filmes, programas e jogar games controlando a televisão pelo smartphone ou tablet. O sistema também suporta o Chromecast, portanto, o conteúdo de dispositivos móveis poderá ser transmitido para a TV.

Chromecast
O Chromecast, aparelho similar a um pen drive que transmite o conteúdo de dispositivos móveis para a TV, também ganhou novidades. Agora, ele vai permitir que um gadget se conecte à TV mesmo que não esteja conectado à mesma rede Wi-Fi.

A função “Cast Screen” vai deixar que a tela do smartphone ou tablet seja espelhada na TV e a “Backdrop” vai fazer com que a televisão rode imagens do Google+, do Google Maps, além de notícias e previsão do tempo.

Android Fit
A Apple apresentou o Health no início do mês, e o Google anunciou o Google Fit. Trata-se de uma interface de programação para que os desenvolvedores sincronizem dados de saúde e fitness entre dispositivos vestíveis e smartphones. Com isso, o usuário pode ter uma visão completa de todos os seus dados, como batimentos cardíacos, passos contados, dieta, entre outros.

A plataforma estará disponível aos desenvolvedores em algumas semanas e a empresa já anunciou parcerias com diversas marcas como Nike e Adidas.

Chromebook
A intenção do Google é tornar unificada a experiência entre Android e Chrome OS, o software que roda nos laptops Chromebook. Segundo Sundar Pichai, o objetivo é trazer os aplicativos Android para o notebook. Durante o evento, ele demonstrou alguns apps que ganharam versões para o Chrome OS com uma aparência muito similar ao que o Android oferece. São eles o Evernote, o Vine e o Flipboard.

As notificações do Google Now, chamadas e mensagens recebidas no celular também vão aparecer no computador. Quando a bateria do smartphone estiver acabando, um aviso também será mostrado no laptop. No entanto, ainda não será possível fazer ligações ou enviar SMS pelo computador, como a Apple anunciou no seu novo OS X Yosemite.

Sony lança câmera com zoom óptico de 63 vezes

Sony DSC-H400

Foto: Sony / Divulgação

A Sony lançou uma nova câmera com zoom óptico de 63 vezes e 126 vezes de zoom digital com preço sugerido de R$ 1.499. O modelo DSC-H400 tem como foco os fotógrafos amadores e iniciantes que não querem gastar em um equipamento semiprofissional, mas não dispensam a qualidade das imagens.

Com sensor de 20.1 megapixels, a câmera faz gravações em alta definição (HD) e possui 8 gigabytes (GB) de cartão de memória para armazenar fotos e vídeos. A câmera também possui estabilizador óptico de imagem, para tirar fotos a longa distância sem sair com falhas (tremida ou sem foco), além do modo diversão com 4 efeitos diferentes para ilustrar a foto.

A única diferença entre a DSC-H400 e a sua antecessora, a DSC-H300, é o modo de zoom – tanto digital como óptico. Na versão anterior, a DSC-H300 possui 35 vezes de zoom óptico e 70x de zoom digital.

A DSC-H400 utiliza tela traseira de três polegadas LCD para visualizar as fotos e alterar as funções do menu. A câmera é vendida apenas na cor preta.

Câmeras compactas
A companhia japonesa ainda disponibiliza dois novos modelos compactos, a DSC-W830 e a DSC-W800. Para aqueles que apenas desejam tirar fotos simples e não pretendem carregar uma câmera robusta com lente e zoom potentes.

A W800 tem zoom óptico de cinco vezes, zoom digital de dez vezes, 20.1 megapixels de resolução, possui cartão de 4 GB para guardar fotos, menu diversão com quatro efeitos, tem estabilizador óptico, grava vídeos em HD e faz fotos panorâmicas. Seu preço inicial é R$ 429 e pode ser comprada nas cores preta ou prata.

Já a W830 possui como diferencial em relação ao W800, lentes Carl Zeiss com óptico de oito vezes e zoom digital de 32 vezes e pode ser adquirida nas cores preta, rosa ou violeta por R$ 499.