Arquivo da categoria: Qualidade de Vida

Pratos grandes e TV: veja como sua casa ajuda a engordar

Armários transbordando e alimentos saudáveis escondidos são pontos negativos que atrapalham na manutenção do peso saudável

 

A casa deve funcionar como um refúgio contra as comidas nada saudáveis vendidas em cada esquina. Mas, se não estiver bem configurada, pode incentivar maus hábitos e colaborar com o ganho de peso. A boa notícia é que é possível repensá-la para se proteger de alimentos ruins e do sedentarismo. O site da revista americana Health listou 10 erros comuns e como evitá-los. Confira:

Armários transbordando

Se a sua despensa está completamente cheia e você começa a ter que colocar produtos também no balcão, geladeira ou mesa, você aumenta o risco de petiscar. “Um saco de batatas fritas ou doces vai colocar a comida em seu radar quando você passar por ela. No minuto em que vê a dica visual, vai querer isso”, disse a médica Sherry Pagoto, professora na divisão de medicina preventiva e comportamental da Escola de Medicina da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos.

Solução: Limpe a sua despensa regularmente. Livre-a de alimentos vencidos e dos produtos de que não gosta muito, mas que se obriga a ter. Tente comprar menos guloseimas. Tenha planos alternativos de armazenamento mais “escondidos”, como um armário no porão.
Alimentos saudáveis escondidos

Se a comida saudável fica escondida, é menos provável que vá comê-la. Por exemplo, manter frutas que não precisam de refrigeração, como maçã e pera, em uma gaveta da geladeira.

Solução: Compre uma fruteira bonita e preencha-a com frutas que podem ficar fora da geladeira. Assim, estarão sempre à vista, aumentando as chances de comê-las. Deixe legumes pré-cortados em recipientes transparentes na parte da frente da geladeira, assim não tem desculpa da preguiça de cortá-los para comer.
Casa quente

Se você controla a temperatura da sua casa por meio do ar-condicionado ou aquecedor, tome cuidado para não deixá-la muito quentinha e agradável. É que, assim, seu corpo não tem que trabalhar para gastar energia para se aquecer, o que pode colaborar com quilinhos a mais, segundo estudo da Trends in Endocrinology & Metabolism.

Solução: Reduza alguns graus no termostato. O frio ativa a gordura marrom, que estimula o metabolismo e melhora a sensibilidade à glicose. Para a mudança não ser muito brusca, diminua a temperatura gradualmente para se adaptar a ela.
Aparelhos de exercício escondidos

Os equipamentos para fazer exercícios, como colchonete e halteres, costumam ficar escondidos para evitar que visitas inesperadas se deparem com a casa bagunçada. Mas quantas vezes essas visitas realmente acontecem? “Quando a sua opção é usar uma esteira coberta de teias de aranha ou se sentar em um grande sofá confortável na frente da TV, não surpreende que você escolha a TV”, disse a médica Sherry.

Solução: Mantenha os halteres ao lado do seu sofá para que se lembre de usá-los. Coloque o tapete de ioga e a bicicleta ergométrica em um espaço da casa convidativo, como ao lado de uma janela com uma bela vista.
Você sai com pessoas erradas

“Olhe quem são seus amigos. Você vai ter um comportamento semelhante ao das pessoas que passam muito tempo com você”, afirmou James O. Hill, PhD, diretor do Centro de Pesquisa de Nutrição e Obesidade de Colorado, nos Estados Unidos. Assim, se seus amigos são mais do tipo que prefere se sentar para beber cerveja e comer batatas fritas, então você tem grandes chances de ser assim também.

Solução: Ninguém está dizendo que deve perder seus amigos só porque têm maus hábitos alimentares. “Olhe para os amigos que estão fazendo a coisa certa e tenha-os mais ao seu redor”, sugeriu Hill. Se são mais ativos e gostam de comer alimentos nutritivos, você fica mais propenso a adotar seus hábitos. Por outro lado, a sua nova atitude pode servir de exemplo para os amigos sedentários e com alimentação desequilibrada.
Luzes fracas

Quando você não dorme o suficiente, seu corpo embaralha os níveis de hormônios que controlam a fome, fazendo com que almeje alimentos não-saudáveis. Em um estudo do International Journal of Endocrinology, adultos privados de sono que foram expostos à luz fraca da manhã tinham concentrações mais baixas do hormônio leptina, que faz com que se sinta satisfeito, em comparação com aqueles expostos a lâmpadas eficientes em termos energéticos.
Solução: Quando acordar, abre as cortinas para permitir que a luz solar natural entre nos ambientes e ligue as lâmpadas. Além de melhorar no quesito hormonal, também ajuda a despertar mais rápido.
Servir comida na mesa de jantar

É fácil pegar uma colher extra de batata ou macarrão quando tudo está disposto na mesa de jantar, mesmo quando não está realmente com fome.

Solução: Deixe a comida nas panelas e se levante para colocá-la no prato. Essa estratégia diminuiu a ingestão alimentar em 10% para mulheres em um estudo da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos. Outro truque, recomendado pela médica Sherry, é tirar os alimentos das panelas e guardá-los na geladeira. Assim, se ficar com vontade de comer mais, vai ter que passar pela dificuldade de reaquecimento, o que a maioria das pessoas não vai colocar em prática. No mínimo, a medida dá ao seu corpo tempo para se sentir completo, assim terá uma repetição menor.
Casa acolhedora à noite

Você chega a sua casa, janta, coloca o pijama e se joga no sofá? Esse modo sonolento e sedentário significa que está começando a noite antes do necessário.

Solução: Coloque roupas próprias para atividade física, ligue as luzes e ouça uma música energizante depois do jantar. Um estudo divulgado no PLOS One descobriu que as pessoas andam em um ritmo mais rápido com melodias otimistas em relação às mais lentas e relaxantes. Com maior energia, você também tem mais chances de sair e fazer uma caminhada.
Muitas TVs

Passar muito tempo em frente à TV está associado a um maior risco de estar acima do peso ou de se tornar obeso. “Tempo de TV é tempo de sedentarismo”, comentou Hill.

Solução: Você não tem que se livrar da TV completamente. No entanto, considere remover o aparelho do quarto (especialistas recomendam manter essa área apenas para sexo e dormir) e cozinha (TV incentiva petiscos). Em seguida, seja seletivo com o que assiste, assim só verá o que realmente gosta em vez de conferir atrações sem graça apenas para passar o tempo. Reduza o tempo de TV e você fica mais propenso a ser mais ativo.
Pratos e bowls muito grandes

Subconscientemente, as pessoas querem preencher o espaço de pratos, bowls, taças. Se forem grandes, a ingestão, portanto, será maior. Um estudo indicou que adultos e crianças colocam mais cereais em grandes tigelas e consomem, assim, 44% mais calorias.

Solução: Para diminuir o tamanho das porções, aposte em pratos e tigelas menores.

Anúncios

Porções de carboidrato ajudam a combater jet lag, diz estudo

Foto: Getty Images

Desde que inventaram escalas de avião, quem nunca se sentiu culpado em comer massas no meio da noite? Mas, segundo um estudo japonês, esta culpa não tem fundamento, já que carboidratos nestes horários “errados” durante voos ajudam a combater o jet lag – fadiga e problemas de sono causados pelas mudanças bruscas de rotina e horários. Isso acontece porque ingerir alimentos que ativam a produção de insulina, como os carboidratos, ajuda o relógio biológico a entrar no eixo e recuperar o ciclo natural do sono. As informações são do site inglês Daily Mail.

O resultado veio depois que pesquisadores da Yamaguchi Univeristy buscavam métodos que ajudam a balancear o ritmo circadiano, fundamento que comanda quando e quanto o corpo quer dormir. Neste domínio, já se sabe que ambientes escuros emitem um sinal de sono ao cérebro, assim como locais claros têm o efeito contrário e deixam as pessoas mais despertas.

Os especialistas descobriram então que cada uma das milhões de células do corpo têm um mini sistema de sono e que o resultado do cansaço é como eles se comportam de forma unida. A pesquisa concluiu que a insulina pode ativar estes pequenos sistemas individuais das células e incentivar o corpo a adormecer quando quer.

“Em resumo, a insulina pode ajudar o relógio do estômago a sincronizar com os períodos em que as refeições estão sendo feitas”, afirma Dr. Makoto Akashi, responsável pela pesquisa. Ele explica ainda que o efeito pode não ser notado em pacientes com diabetes tipo 2, que têm problemas em produzir o hormônio. Além disso, os testes, até agora feitos em ratos, precisam ser analisados em humanos para qualquer conclusão definitiva.

Pesquisa descobre região no cérebro responsável pela ressaca

Cientistas esperam encontrar uma solução para o alcoolismo

Foto: Getty Images

A maioria das pessoas já disse que nunca mais iria beber após acordar de ressaca. Cientistas da Universidade de Utah descobriram a área do cérebro responsável pela sensação e que ela é vital para evitar os exageros com bebidas alcoólicas. De acordo com o pesquisador Sharif Taha, a região é o que separa um bebedor social de um alcoólatra. As informações são do Daily Mail.

A região, chamada habenula lateral, é ativada por experiências ruins. Segundo os cientistas, quando essa região é cronicamente inativa, com base em experiências em ratos, existe uma tendência ao consumo de bebidas em excesso e menor capacidade de aprendizado com os acontecimentos.

Eles deram a ratos o acesso a uma bebida alcoólica forte ao gongo de várias semanas. Os animais com a habenula lateral desativada beberam mais do que os com a região ativa. A lógica, de acordo com Taha, é a mesma da intoxicação alimentar: “você come algo que fez mal, fica doente e passa a evitar o alimento nas refeições futuras”. O processo não acontece quando a região no cérebro não funciona.

A expectativa dos pesquisadores é encontrar uma solução para o alcoolismo, uma vez que conseguiram decifrar os circuitos cerebrais que controlam a sensibilidade aos efeitos do álcool.

Inchaço? Site lista 7 dicas para combater o problema

Foto: Getty Images

O inchaço teima em atrapalhar seu sonho de ter uma barriga lisa? O site Female First ensinou como combater o incômodo em sete dias e deixou claro que as dicas podem e devem ser incorporadas ao dia a dia para se manter bem sempre. Veja a seguir.

Suco detox: veja receitas das famosas

Dia 1: comece a apostar em probióticos
Estudos têm demonstrado que os probióticos ajudam a reequilibrar a flora intestinal e os movimentos intestinais saudáveis, além de apoiar a digestão eficiente de alimentos. O inchaço é muitas vezes devido a um desequilíbrio da microflora intestinal, quando bactérias e leveduras fermentam alimentos não-digeridos, produzindo gases. Já as bactérias benéficas, as bifidobactérias (probióticas), em particular, não produzem muito gás.

Dia 2: apoie a função digestiva
Aposte em um pouco de vinagre de maçã antes de cada refeição, mastigue bem os alimentos e faça as refeições em um ambiente descontraído. Tente preparar alimentos frescos.

Dia 3: reduza açúcar e carboidratos refinados
Esses itens podem levar a mais produção de gás pelas bactérias. Portanto, evite produtos processados, como massas brancas, pães e produtos de panificação (bolos, biscoitos).

Dia 4: comece a comer mais fibras
Consuma porções variadas de legumes e verduras todos os dias para manter os movimentos intestinais regulares. O acúmulo de resíduos no cólon pode certamente causar inchaço.

Dia 5: tente beber caldo de ossos caseiro ou incluí-lo em sopas e ensopados
A iguaria (feita ao ferver ossos de animais saudáveis com vegetais, ervas e especiarias) é rica no aminoácido glutamina, essencial para alimentar as células que revestem o intestino, onde a digestão final dos alimentos e a absorção ocorrem.

Dia 6: deixe legumes de molho
Deixar os legumes de molho durante a noite vai aliviar a digestão se esses alimentos lhe causam inchaço.

Dia 7: relaxe
O estresse pode reduzir os níveis de bactérias benéficas no intestino. Inclua alguma forma de relaxamento na rotina diária, como ler livros, praticar ioga, meditar.

Em longo prazo, estresse causa ataque cardíaco e derrame

Pesquisadores fizeram análise de amostras de sangue de médicos que trabalham com altos níveis de estresse

Foto: Getty Images

O estresse em longo prazo pode causar ataques cardíacos fatais e derrames, pois envia uma onda de adrenalina que faz com que o coração bombeie mais sangue e aumente o fluxo sanguíneo, como se o corpo entrasse em alerta. Além disso, o estresse causa o aumento dos glóbulos brancos e piora as inflamações nas artérias, que podem provocar um rompimento. As informações são do Telegraph.

Um coágulo pode crescer em questão de minutos e, se obstruir completamente a artéria, causa um ataque cardíaco. O médico Matthias Nahrendorf e sua equipe do Massachusetts General Hospital e Harvard Medical School foram expostos a estresse crônico e tiveram enorme contagem de células brancas no sangue. Uma experiência em ratos também comprovou o fato.

“A exposição ao estresse psicossocial é um fator de risco para muitas doenças”, disse Nahrendorf. “Para entender o impacto do estresse sobre o sistema imunológico humano, analisamos amostras de sangue de 29 médicos residentes que trabalham em uma unidade de terapia intensiva do hospital, em ritmo acelerado e com grandes responsabilidades”, continuou o médico. As amostras foram comparadas com outras colhidas nos dias de folga dos profissionais. O primeiro material estava com aumento de glóbulos brancos.

Veja cinco erros cometidos pela manhã que atrapalham o dia

Alguns hábitos podem melhorar a rotina

Foto: Getty Images

A correria diária nos obriga a sempre fazer as coisas com pressa, dormir mal, comer mal e no final do dia, depois de incontáveis tarefas, esses hábitos só pioram o estresse. O Huffington Post elaborou uma lista de cinco erros cometidos logo pela manhã e que, se consertados, podem proporcionar um dia mais agradável. Confira a seguir.

Levantar depressa: você pula da cama pronta para começar as tarefas do dia. O problema pode exigir muito os músculos das costas, muitas vezes ainda rígidos pela manhã, após horas de descanso, disse o especialista em quiropraxia e sono, Robert Oexman. O movimento brusco pode causar dores ou até mesmo lesões nas costas. Outro motivo para sair da cama com mais calma é que o sangue “corre” para as penas, o que pode causar tontura, principalmente em mulheres, afirmou Alan Hilibrand, cirurgião ortopédico. O especialista recomenda às pessoas, antes de levantarem, abraçarem os joelhos em direção ao peito para aquecer os músculos e fazer o sangue fluir por todo o corpo.

Deixar o quarto escuro enquanto de prepara para sair: deixar as cortinas fechadas  pode criar um ambiente aconchegante para pegar no sono, mas não traz benefício algum no momento de despertar. Para começar o dia em um estado de espírito positivo e ajustar o relógio interno, a luz solar é fundamental, segundo pesquisadores da Universidade Feinberg. O conselho dos especialistas para a manhã é quanto mais luz, melhor.

Só cuidar de você à tarde: a maioria das pessoas que tem uma vida corrida no trabalho, acordam e se arrumam rapidamente, almoçam com pressa  e só se dão conta de como estão cansadas à tarde. No entanto, um estudo da Universidade de Minnesota descobriu que se os funcionários iniciam a rotina em um estado de espírito positivo, o humor ajuda a tornar os momentos do dia mais agradáveis, do que se o dia teve início de uma forma ruim. A pesquisa mostrou que uma manhã bem-humorada faz com que a pessoa sofra menos com interações negativas de colegas de trabalho. A dica é: anime-se antes de começar o dia.

Ajustar o alarme para às 6h47: pessoas por vezes colocam o despertador para um horário mais cedo do que pretendem levantar  e os especialistas condenam o hábito, pois prejudica e desregula o sono noturno. Tente  se levantar quando o alarme dispara e não 10 ou 20 minutos depois.

Fazer exercícios logo depois de acordar: você deveria tomar café da manhã para alavancar o metabolismo antes, mas isso parece impossível quando acorda já atrasada para a aula se spin. Ignorar a refeição é um problema. Você fez jejum durante toda a noite e precisa de alimento para repor as reservas de energia.  Uma fruta ou cereais secos antes da academia já fazem toda diferença.

Não acorde e saia de casa com pressa

Foto: Getty Images

Ficar muito tempo sentado aumenta riscos de câncer

Foto: Getty Images

Ficar muito tempo sentado aumenta risco de desenvolver câncer, além de doenças como diabetes e problemas cardíacos, apontou uma pesquisa da Universidade de Regensburg, na Alemanha. O estudo, que avaliou dados de 43 levantamentos feitos com mais de quatro milhões de pessoas e 70 mil casos de câncer, concluiu que a cada duas horas extras sentado diariamente aumenta em 10% as chances de ser diagnosticado com câncer. Os tipos da doença que mais aumentam por causa disso são no intestino, endométrio (revestimento do útero) e pulmão. As informações são do site inglês Daily Mail.

O mais preocupante do estudo é que este número se mantém o mesmo tanto para pessoas sedentárias quanto para quem pratica atividades físicas regularmente. O determinante é mesmo o tempo que as pessoas ficam sentadas, independente dos exercícios que fazem quando estão ativas.

Para cada duas horas extras sentadas a chance de as mulheres terem câncer de endométrio aumenta em 10%. O mesmo tempo extra na cadeira equivale a um aumento de 8% de chance de ter câncer no intestino e 6% de pulmão.

De acordo com os responsáveis pelo estudo, o comportamento sedentário e suas implicações são os responsáveis por estes números. Assistir a TV, por exemplo, geralmente vem acompanhada de comer junk food e beber refrigerante, fatores que implicam em aumento de câncer no intestino e no endométrio.

“O tempo gasto em atividades sendentárias diminui o gasto de energia, aumenta o ganho de peso e a obesidade, fatores ligados ao aumento do câncer”, explicam Dra. Daniela Schmid e Dr. Michael Leitzmann.

Um estudo anterior já tinha assinalado que alguém que assiste seis horas de TV por dia tem cinco anos a menos de vida comparado a uma pessoa que não fica em frente ao aparelho. Além disso, pessoas que abusam do tempo no sofá têm maior circunferência abdominal, altos índices de colesterol, açúcar no sangue e triglicérides.

Um adulto gasta em média 90% do tempo de lazer sentado e menos da metade deles se exercita na quantidade recomendada pela Organização Mundial de Saúde. No Reino Unido, o ideal é fazer atividades físicas por 2 horas e meia semanalmente.