Arquivo da categoria: Esportes

Competição de surfe nos EUA reúne fantasiados de super-heróis e zumbis

Evento ocorreu em Santa Monica, no estado da Califórnia; competição fez parte das comemorações do Halloween (Dia das Bruxas).

Com fantasias de super-heróis e zumbis, por exemplo, dezenas de participantes disputaram no sábado (25) uma competição da surfe em Santa Monica, no estado da Califórnia (EUA). Evento foi organizado dentro das comemorações do Halloween (Dia das Bruxas), que festejado nos EUA e em outros países pelo mundo no dia 31 de outubro.

Participante competiu fantasiado de Capitão América (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)Participante competiu fantasiado de Capitão América (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)
Competição de surfe aconteceu em Santa Monica, no estado da Califórnia (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)Competição de surfe aconteceu em Santa Monica, no estado da Califórnia (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)
Evento foi organizado dentro das comemorações do Halloween (Dia das Bruxas), que festejado no dia 31 de outubro (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)Evento foi organizado dentro das comemorações do Halloween (Dia das Bruxas), que festejado no dia 31 de outubro (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)
Anúncios

Marin falta a entrevista e evita anúncio de saída de Felipão

Presidente José Maria Marin falta em entrevista e mantém em aberto a oficialização da saída de Luiz Felipe Scolari da Seleção

Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM / Divulgação

Com seu nome confirmado na entrevista de balanço da Copa do Mundo de 2014, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, não compareceu ao evento. Coincidentemente, a ausência de Marin, que também acumula a função de presidente do Comitê Organizador Local da Copa (COL), acontece horas depois de vazar a notícia de que o técnico Luiz Felipe Scolari não permanecerá no comando da Seleção Brasileira.

A notícia foi confirmada pelo Terra com fontes ligadas a entidade máxima do futebol brasileiro. Marin aceitou o pedido de demissão de Scolari, feito depois da derrota diante da Holanda, no último sábado. Junto com Felipão deixam a Seleção toda sua comissão técnica, incluindo o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira.

Outro nome que estava confirmado na entrevista realizada no Maracanã e que não compareceu foi o ex-atacante Ronaldo, um dos membros mais importantes do COL. Sem a presença dos dois, a entrevista que marcou o fim da Copa do Mundo contou com a presença do presidente da Fifa, Joseph Blatter, do secretário geral da Fifa, Jérome Valcke, do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, do CEO do COL, Ricardo Trade, além de Luis Fernandes, secretário-executivo do Ministério do Esporte.

Logo no início da entrevista, Trade tentou explicar a ausência de Marin na entrevista. “O presidente Marin não pôde aparecer, pois está em São Paulo”. Depois do evento, a assessoria do COL disse que Marin tinha uma agenda diferente e que está na capital paulista desde ontem. O presidente da CBF esteve presente na decisão da Copa do Mundo, que acabou com vitória da Alemanha sobre a Argentina, por 1 a 0, com gol na prorrogação. Marin, inclusive, ajudou a entregar as medalhas aos argentinos e alemães.

Blatter se diz “surpreso” com Messi como melhor da Copa

Messi recebe os parabéns de Blatter após ser escolhido o melhor jogador da competição

Foto: Nelson Almeida / AFP

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, admitiu ter ficado um “pouco surpreso” com a escolha de Lionel Messi como melhor jogador da Copa do Mundo de 2014, depois da vitória da Alemanha sobre a Argentina na decisão do Mundial, com vitória por 1 a 0 na prorrogação, no Estádio do Maracanã. O dirigente foi indagado sobre a premiação durante a entrevista de balanço do Mundial, realizada nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro.

“Você quer que eu seja diplomata ou fale a verdade?”, brincou Blatter com o jornalista. Após dar risadas, ele completou: “eu tenho que admitir que fiquei um pouco surpreso quando vi o messi subir para receber a premiação. Mas se você for comparar e analisar do começo ao fim do torneio, olhando os gols do Messi, ele foi decisivo para fazer a Argentina chegar até a final”.

O mesmo jornalista questionou o fato de a escolha não contar com a participação da mídia credenciada para a Copa do Mundo. Em 2010, os jornalistas ajudaram a eleger o uruguaio Diego Forlán como craque daquele Mundial.

“Foi uma longa discussão e gerou um debate. Mas ficou decidido que a escolha ficaria com o grupo técnico da entidade. Eu sei que foram os jornalistas no passado, mas dessa vez mudou. Nós teremos um comitê de mídia no futuro e essa questão pode ser discutida”, afirmou o diretor de comunicação da Fifa, Walter de Gregorio.

A escolha de Messi gerou críticas de parte da mídia, além de alguns jogadores e ex-jogadores. Após o título, o meia alemão Bastian Schweinsteiger, por exemplo, foi um dos que não gostou da escolha. “Quando um cara ganha você tem de ter respeito. Mas tenho uma outra opinião”, disse. “Quando vejo caras como Müller, Neuer, Lahm, eles fizeram um incrível torneio. Eles tinham de ganhar, mas acho que ganharam o mais importante”.

Ídolo argentino, Diego Maradona elogiou o camisa 10 de sua seleção, porém também não concordou com Messi como melhor da Copa do Mundo. “Messi? Eu lhe daria o céu se possível”, disse o ídolo em seu programa de televisão na emissora venezuelana Telesur, antes de acrescentar: “mas não é certo quando alguém ganha alguma coisa que não deveria ter vencido apenas por causa de algum plano de marketing”.

O próprio Messi não se mostrou muito satisfeito com a premiação. Vivendo a tristeza de ver o título mundial escapar das suas mãos aos 7min da prorrogação, com gol de Götze, ele declarou que trocaria o prêmio de melhor jogador da competição pela conquista inédita na carreira.

Punição de Suárez

Joseph Blatter diz que sente pena de Suárez pela punição, mas tem que aceitar decisão tomada pelo comitê da Fifa

Foto: Carlos Barria / Reuters

O presidente da Fifa falou ainda sobre a punição dada a Luis Suárez pela mordida acertada no zagueiro italiano Chiellini. O jogador uruguaio acabou punido pela entidade máxima do futebol, ficando quatro meses afastado de qualquer atividade no futebol, sem poder jogar por mais oito partidas pela seleção uruguaia, além de ter de pagar uma multa de 100 mil francos suíços (cerca de R$ 247,2 mil).

“Casos como esse mostram a mudança da Fifa. Agora para casos disciplinares a entidade tem um comitê independente que não tinha no passado. Estamos agora em um sistema democrático. Pelo futebolista, eu tenho pena. Acho que uma punição como essa machuca. Mas como presidente da Fifa, tenho que aceitar as decisões tomadas pelo nosso comitê independente”, disse.

“Espero que esse jogador volte bem a campo. Ele ficou fora do Uruguai na primeira partida, depois a gente viu a capacidade dee. Ele cheira a gol. Espero que ele retorne. Está em um dos grandes clubes do mundo, terá um grande espaço lá e poderá confirmar sua posição”, completou Blatter.

França perde gols em excesso, embala no fim e bate Nigéria

França teve trabalho, mas fez dois gols na reta final do segundo tempo para avançar no confronto

Foto: David Gray / Reuters

A França teve que suar mais do que imaginava, mas está nas quartas de final da Copa do Mundo de 2014. Com atuação abaixo do esperado e boa quantidade de gols perdidos, a seleção europeia chegou a ser dominada em parte da partida pela Nigéria nesta segunda-feira no Estádio Nacional, em Brasília (DF), mas cresceu no fim do jogo e aproveitou falhas do adversário para vencer os africanos por 2 a 0, passando à fase seguinte do Mundial disputado no Brasil.

Veja como foi França 2 x 0 Nigéria

Campeã em 98, a seleção francesa volta a estar em uma quartas de final após oito anos – em 2006 alcançou o vice-campeonato, mas em 2010 foi eliminada na primeira fase. Em alguns momentos da partida desta segunda, contudo, o objetivo pareceu longe: a França demorou a se encontrar em campo e viu a Nigéria dominar, principalmente no início do segundo tempo – os franceses ainda tiveram que superar boa atuação de Enyeama, até contar com falha do goleiro para abrir o placar.

Com o avanço, os europeus aguardam o adversário das quartas de final: será Alemanha ou Argélia, que se enfrentam ainda nesta segunda. O duelo pelas quartas está marcado para a próxima sexta-feira, às 13h (de Brasília), no Maracanã. Os nigerianos, por sua vez, repetem o melhor desempenho no Mundial, já alcançado em 1994 e 1998, e ficam novamente sem passar das oitavas.

Primeiro tempo dinâmico, mas sem gols

Apesar de chances reais esporádicas de gol, o primeiro tempo foi bastante interessante para quem foi conferir o duelo no Estádio Nacional. Com equipes com grande característica ofensiva e que tiveram dia de falhas defensivas, os primeiros 45 minutos mostraram um jogo aberto e de velocidade intensa – não foi raro observar ataques em sequência de um lado e de outro.

As oportunidades, no entanto, eram raras. A melhor francesa surgiu aos 21min: aproveitando “avenida” no lado esquerdo da Nigéria, Pogba lançou Valbuena e o meia cruzou de volta para Pogba, que acertou lindo chute de primeira para grande defesa do goleiro nigeriano. O ataque da França, entretanto, sofreu no primeiro tempo com dia pouco inspirado de Giroud, que errou a maioria das jogadas que tentou.

Perigosa nas subidas ao ataque, a Nigéria chegou a balançar a rede no primeiro tempo, mas teve o gol invalidado. Aos 19min, Musa cruzou e Emenike completou para as redes, mas o nigeriano estava em posição irregular, assinada corretamente pelo assistente.

França demora a embalar, mas se impõe e marca duas vezes no fim

O duelo voltou para a etapa final no mesmo ritmo, com ambos os times buscando o ataque e falhando em aproveitar os – muitos – erros do adversário. Com uma postura surpreendentemente dominante, os nigerianos encurralaram os favoritos europeus no campo de defesa e mantiveram a posse de bola no campo de ataque. Os primeiros 20 minutos foram inteiros da Nigéria, que mostrou bom toque de bola para envolver a França, mas criou pouco.

Depois do susto inicial, os franceses tiveram a primeira grande chance da etapa final. Aos 24min, Benzema brilhou com boa jogada e, após linda tabela com Griezmann, saiu na cara do gol, mas chutou em cima de Enyeama – a bola ainda assim seguiu na direção do gol, porém Moses tirou quase em cima da linha.

França parava em boa atuação do goleiro africano Enyeama, que falhou na abertura do placar dos europeus

Foto: David Gray / Reuters

A França retomou o domínio e Benzema voltou a aparecer ao dar chute cruzado aos 31min que passou por toda a pequena área até um defensor nigeriano tirar – na sobra, Cabaye pegou o rebote de fora da área e viu a bola explodir no travessão nigeriano. Aos 33min,  Benzema cabeceou para grande defesa de Enyeama.

A boa atuação do goleiro africano, contudo, foi por terra no lance seguinte: em escanteio, o arqueiro afastou mal a bola e Pogba, de cabeça, mandou para o fundo da meta vazia aos 34min. Mesmo após a abertura do placar, os franceses continuaram melhores – aos 38min, Enyeama fez defesa espetacular em chute de Griezmann. O gol que consumou a classificação da França veio aos 46min: após cruzamento de Valbuena, a defesa nigeriana foi mal na bola e Yobo fez contra a favor dos europeus.

FICHA TÉCNICA
FRANÇA 2 X 0 NIGÉRIA

Local:   Estádio  Nacional Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 30 de junho de 2014
Horário: 13h (de Brasília)
Árbitro: Mark Geiger (EUA)
Assistentes: Sean Hurd (USA) e Joe Fletcher (CAN)
Cartões Amarelos: Matuidi (França)
GOL: Pogba (França), aos 34 minutos do segundo tempo e Griezmann (França), aos 46 minutos do segundo tempo.

FRANÇA: Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny e Evra; Cabaye, Matuidi, Pogba e Valbuena (Sissoko); Giroud (Griezmann) e Benzema.
Técnico:Didier Deschamps
NIGÉRIA: Enyeama; Ambrose, Yobo, Oshaniw e Omeruo; Mikel, Onazi (Reuben Gabriel), Musa, Victor Moses e Odemwingie; Emenike.
Técnico: Stephen Keshi

Incomparáveis, Messi e Neymar igualam gols e marcam estilos

Neymar, por sua vez, acertou três finalizações a mais que o argentino (8 a 5) e tentou quase o dobro de cruzamentos (9 a 5). Sem a bola, fez três faltas e levou um cartão amarelo. Mas desarmou mais que Messi (5 a 2).

Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Esperanças por uma final Brasil x Argentina, Lionel Messi e Neymar encerraram a primeira fase da Copa do Mundo provando serem fundamentais para o sonho de seus países levantarem a taça. Cada um ao seu estilo, os craques desequilibraram jogos, apareceram para decidir e iniciam as oitavas de final dividindo a artilharia com quatro gols.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

Poder decisivo à parte, os números da Footstats ressaltam que Messi e Neymar construíram seus protagonismos de maneiras diferentes. O argentino concentrando mais o jogo e servindo seus companheiros e o brasileiro mais incisivo no ataque e brigador sem a bola.

Messi teve a bola no pé por quase seis minutos nestes três primeiros jogos, cinquenta segundos a mais do que Neymar. Distribui 118 passes certos, sendo 11 para finalizações. A eficácia foi de 88,7%.

Neymar, por sua vez, acertou três finalizações a mais que o argentino (8 a 5) e tentou quase o dobro de cruzamentos (9 a 5). Sem a bola, fez três faltas e levou um cartão amarelo. Mas desarmou mais que Messi (5 a 2).

Além dos gols, os jogadores se equivaleram em dribles certos (13) e perderam quase o mesmo número de bolas (29 a 24 a favor de Messi). Mas acima de tudo não se esconderam.

Quando o Brasil estava em desvantagem contra a Croácia, Neymar marcou o primeiro de fora da área e virou em cobrança de pênalti. Apagado contra o México, voltou a brilhar com dois gols e atuação acima da média contra Camarões.<P>

Messi foi mais regular em seu poder decisivo. Marcou o segundo gol que deu tranquilidade na vitória por 2 a 1 sobre a Bósnia e, nos acréscimos, fez de fora da área o único gol contra o Irã. Na despedida da primeira fase fez dois diante dos nigerianos.

Veja Messi e Neymar em números:

Messi teve a bola no pé por quase seis minutos nestes três primeiros jogos, cinquenta segundos a mais do que Neymar. Distribui 118 passes certos, sendo 11 para finalizações. A eficácia foi de 88,7%.

Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

 
Assistências para finalização
Messi 11 (3,7)
Neymar 6 (2)
 
Cartões
Messi 0
Neymar amarelo
 
Cruzamentos
Messi 3 certos e 2 errados
Neymar 1 certo e 8 errados
 
Desarmes
Messi 1 certo e 1 errado
Neymar 3 certos e 2 errados
 
Dribles
Messi 13 certos e 6 errados (6,3)
Neymar 13 certos e 4 errados (5,7)
 
Faltas
Messi 1 cometida e 6 recebidas
Neymar 3 cometidas e 9 recebidas
 
Finalizações
Messi 5 certas e 7 erradas
Neymar 8 certas e 3 erradas
 
Gols
Messi 4
Neymar 4
 
Impedimentos
Messi 1
Neymar 1
 
Lançamentos
Messi 2 certos e 2 errados
Neymar 2 certos
 
Passes
Messi 118 certos e 15 errados (88,7%)
Neymar 76 certos e 17 errados (81,7%)

Perdas de bola
Messi 24
Neymar 29

Posse de bola
Messi 5min58 (1min59)
Neymar 5min08 (1min42)

Holyfield diz que Suárez deveria estar com vergonha: “Coisa de criança”

Mike Tyson curtiu Luis Suárez

Quem melhor do que Evander Holyfield para comentar sobre a mordida do uruguaio Luis Suárez em zagueiro italiano Giorgio Chiellini? O ex-boxeador já sentiu na pele o que é isso. Na verdade, foi ele quem protagonizou uma das cenas mais marcantes da história do boxe quando Mike Tyson arrancou-lhe um pedaço da orelha durante uma luta.

E apesar de criticar Suárez, Holyfield fez questão de garantir que o uruguaio não está louco, mas deve sentir vergonha pela atitude: “Normalmente, são as crianças do jardim de infância que mordem umas às outras. Suárez louco? Não o conheço, mas não é preciso estar louco para morder alguém. É somente um jogador frustrado que não sabe o que fazer. Deveria estar envergonhado, tenho que sente vergonha. Tyson sentiu quando me mordeu”, disse em entrevista ao diário norueguês Ekstra Bladet.

Depois, disse que Chiellini deve perdoar Soárez assim como ele perddou Mike Tyson: “Guardar coisas negativas só vai prejudicá-lo”. Pelo Twitter, ele também já havia ironizado que “qualquer parte do corpo pode ser ‘comida'”.

A Fifa abriu um processo disciplinar contra o atacante e astro da seleção do Uruguai, Luis Suárez, por morder o zagueiro italiano Giorgio Chiellini, informou a instituição no início da madrugada desta quarta-feira. De acordo com a entidade, jogador e federação uruguaia têm até as 17h desta quarta-feira, no horário de Brasília, para apresentar a defesa.

O jogador do Liverpool, reincidente neste tipo de agressão, corre o risco de ficar fora desta Copa do Mundo, após o Uruguai vencer a Itália por 1 a 0 e avançar às oitavas de final.

Mike Tyson e Evander Holyfield posam juntos durante o lançamento do molho sabor churrasco do “Real Deal” AP Photo/Charlie Arbogast

Menina que impressionou Thiago Silva treinou hino com o pai militar

Cena que chamou a atenção dos jogadores, com Giovanna cantando o hino junto com David Luiz
Cena que chamou a atenção dos jogadores, com Giovanna cantando o hino junto com David Luiz

Uma foto e muito treino transformaram a mascote que acompanhava David Luiz em uma espécie de mini-celebridade da noite para o dia. Apontada por Thiago Silva como exemplo da união que tem acompanhado a seleção brasileira, Giovanna Guedes, de dez anos de idade, se derrete ao lembrar dos momentos em que esteve do lado com os jogadores. O pai, militar, explica como a menina se preparou para fazer bonito na hora do hino.

“Quando soube que ela poderia ir eu já disse que era importante, que não pode enrolar o hino. Tem de cantar com emoção, é uma coisa que vem do lado militar. Fiz um ensaio com ela. E é isso aí. Aí acho que aquele momento resgatou aquele treino, aquela vontade”, disse Adriano Guedes, tenente-coronel da Aeronáutica.

Giovanna chamou a atenção de Thiago Silva, que viu uma foto da menina na hora do hino, antes da vitória por 4 a 1 sobre Camarões. Na imagem, que rodou o mundo, ela aparece aos berros para cantar a música, assim como David Luiz e Marcelo.

“Reflitam nessa foto! Isso demonstra o espirito do nosso povo, de quem ama nosso país, independentemente da idade! #orgulhodeserbrasileiro”, escreveu o capitão da seleção.

A imagem correu o mundo e Giovanna passou a última terça dando entrevistas em sua casa. “É legal. A primeira vez eu fiquei nervosa, até tremendo. Mas gostei bastante”, disse Giovanna ao UOL Esporte.

Giovanna ganhou a chance ao participar de uma promoção do McDonald’s, que pedia uma foto ou um vídeo de uma criança torcendo durante uma partida. Giovanna e a irmã, Julia, foram selecionadas e a primeira teve o privilégio e entrar em campo com a seleção brasileira.

“Na verdade eu não iria com o David. Eu perguntei: ‘David, você vai com quem?’ Ele disse que ia com o menino que ia na minha frente. Fiquei com a cara triste. Ele disse: ‘Você ficou triste que eu não vou com você?’ Eu disse que fiquei e ali ele trocou. Eu queria ir com ele, Hulk, ou Neymar”, disse Giovanna, que aproveitou para fazer um pedido.

“Eu falei: ‘Quando você fizer o gol você fala meu nome?’ ‘Beleza, Giovanna’. Pena que ele não fez o gol”, disse a menina, que também tirou uma casquinha de Neymar. “Consegui falar com o Neymar, mas eu estava saindo. Estava saindo depois do hino, eu falei boa sorte e ele piscou pra mim”, disse ela.