EUA ‘não controlam internet’, diz Vint Cerf, um dos criadores da rede

A internet é hoje uma “besta incomum”, que não pode ser controlada, e é um “mito” que seja manipulada pelos Estados Unidos, onde surgiu, afirmou em entrevista à AFP um de seus criadores.

Talvez há quinze anos, “mas agora não”, disse o matemático e informático americano Vint Cerf, de 70 anos, um dos pais da internet e atual vice-presidente do Google, que participou na quarta e quinta-feira, em São Paulo, da cúpula NetMundial sobre o futuro da rede.

Temas como a hegemonia de fato dos Estados Unidos sobre a rede, a liberdade de expressão, a expansão da internet e a privacidade estiveram sobre a mesa nesta cúpula, da qual participaram representantes de governos de mais de 80 países, empresas, técnicos, ONGs, a ONU e acadêmicos ligados à internet.

Cerf está na origem da internet há quatro décadas, quando começaram a ser desenhados os protocolos para a rede, que funciona há 25 anos.

Este é um resumo das opiniões de Vint Cerf sobre assuntos diversos, do domínio da rede à privacidade dos usuários.

“Os Estados Unidos não controlam a internet, isto é um mito. Talvez quando os programas começaram a rodar, há 40 anos, mas não mais. É justo, no entanto, dizer que os Estados Unidos têm um papel único com relação aos sistemas de domínio e de endereços da internet. A internet é uma besta incomum, devido ao seu caráter transnacional e não se pode desenhar um círculo em volta dela e dizer ‘neste país está, sim’ e ‘neste, não’. Os países têm a capacidade de gerenciar o que os cidadãos conseguem ver, mas nenhum país pode dizer a outro o que fazer a respeito da rede.

A tecnologia dita o que se pode ou não se pode fazer com a internet. Os engenheiros, os que escrevem os códigos, os que criam os aplicativos, são os que determinam o que a internet pode fazer. Pode haver limites sobre o que as pessoas têm direito a fazer na internet, mas isto depende das regras nacionais e às vezes internacionais. Mas este é um debate complexo porque, ao mesmo tempo em que prometemos liberdade de expressão, de informação, de criação, devemos encontrar também a forma de ajudar as pessoas a se proteger. Por isso é que os governos e a sociedade civil devem estar envolvidos.”

“Ficou muito claro nesta cúpula que as pessoas estão muito preocupadas com sua privacidade, que é um assunto importante. Mas também se propôs a ideia de usar a internet como uma via para facilitar o comércio eletrônico, a educação ou a pesquisa científica. Um assunto muito importante também foi o acesso à internet porque muitas pessoas sentem que falta expandi-la. Todos querem mais internet, em todas as partes.”

“Esta não é a última reunião sobre este tema, mas o bom aqui é que foram reunidas ideias de muitas pessoas. Este encontro é uma contribuição importante, mas não é o fim da história. É importante que tenhamos este tipo de diálogos porque os problemas não podem ser resolvidos em dois dias. Agora já temos uma base.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s