Curiosidade do Dia

Por que os navios não afundam mesmo sendo tão pesados?

Navio1

Os navios não afundam por causa do empuxo, uma força que a água faz, empurrando-os em direção à superfície. Conforme constatou o físico e matemático Arquimedes, “todo corpo mergulhado em um líquido recebe por parte deste a aplicação de uma força de baixo para cima”. Esta força faz um objeto boiar sempre que o peso da água por ele deslocada for maior do que o peso de tal objeto.

Anúncios

Além da Escuridão – Star Trek | Assista ao novo trailer legendado

E veja mais um cartaz da continuação

Marcelo Hessel – Omelete
Star-Trek-poster-2-Alem-da-Escuridao

Além da Escuridão – Star Trek, o segundo filme de Star Trek dirigido por J.J. Abrams, ganhou um novo trailer. O vídeo revela que o vilão de Benedict Cumberbatch  tem ligações com a Frota Estelar, e mostra rapidamente o personagem vivido por Peter Weller.

Veja um novo cartaz acima e confira o trailer abaixo:

Além da Escuridão – Star Trek estreia em 17 de maio de nos EUA e em 14 de junho no Brasil – confira nosso especial sobre o filme.

O que esperar de Além da Escuridão – Star Trek

Leia mais sobre Além da Escuridão – Star Trek.

Estudo: estresse causado pelo trabalho leva ao abuso de álcool

Cinquenta e sete por cento dos pesquisados não dispensam um ou mais drinques após o expediente Foto: Getty Images
Cinquenta e sete por cento dos pesquisados não dispensam um ou mais drinques após o expediente
Foto: Getty Images

Estudos sobre as causas e consequências do estresse têm ocupado especialistas. E um novo levantamento mostra que o estado de tensão pode levar ao abuso no consumo de álcool e também de outras drogas. As informações são do Daily Mail.

O alerta é da entidade beneficente Mind, dedicada a questões ligadas à saúde mental. O grupo, com sede na Inglaterra, aponta que casos de depressão também são provocados pelo estresse.
Mais de um terço dos adultos apontam o trabalho como o aspecto mais estressante, mais do que preocupações com o dinheiro e saúde.

Cinquenta e sete por cento dos pesquisados não dispensam um ou mais drinques após o expediente e 14% afirmaram beber mesmo durante a jornada de trabalho. Cigarro e remédios para dormir também são comumente empregados como maneiras de lidar com o problema.

O ambiente de trabalho ainda seria responsável por 7% dos pensamentos ligados ao suicídio, subindo para 10% nas pessoas com idades entre 18 e 24 anos.

Segundo a pesquisa que ouviu 2 mil pessoas, 9% já pediram demissão de algum trabalho alegando estresse e 25% admitiram ter vontade de fazer o mesmo.

“Sabemos agora que um entre seis trabalhadores vive quadro de depressão, estresse e ansiedade e a pesquisa mostra que a maioria dos administradores não se sentem capacitados para dar apoio nesses casos”, diz Paul Farmer, diretor da Mind.

Francesa é ‘punida’ e apresenta programa de rádio com sutiã à mostra

A francesa Tiffany Bonvoisin, âncora de um programa matinal na emissora de rádio Virgin, apresentou o programa desta quinta-feira com o sutiã à mostra depois que chegou atrasada na segunda-feira. Essa foi a punição imposta por seus colegas. Depois, para deleite de seus seguidores e fãs, Tiffany publicou a foto em sua página no Facebook.

Tiffany Bonvoisin apresentou programa com o sutiã à mostra após punição (Foto: Reprodução)
Tiffany Bonvoisin apresentou programa com o sutiã à mostra após punição (Foto: Reprodução)

Para Nasa, Voyager ainda não deixou Sistema Solar

Ilustração mostra a sonda Voyager 1, da Nasa, explorando uma nova região no Sistema Solar chamada "rodovia magnética" Foto: /NASA/JPL-Caltech / Reuters
Ilustração mostra a sonda Voyager 1, da Nasa, explorando uma nova região no Sistema Solar chamada \”rodovia magnética\”
Foto: /NASA/JPL-Caltech / Reuters

​A possibilidade de que a sonda Voyager-1 tenha deixado o sistema solar, como chegou a ser divulgado, passou a ser questionada, após a Nasa (Agência Espacial Americana), que controla a sonda, ter discordado da opinião de cientistas. Para a Nasa, a Voyager ainda permanece no sistema solar, apesar de pesquisadores terem afirmado que a sonda já estaria fora da influência do Sol.

 

Sondas Voyager chegam aos 35 anos; conheça história

 

Lançada em 1977, a sonda foi criada inicialmente para estudar os planetas mais afastados da Terra, mas continuou viajando pelo espaço. Calcula-se que a região interestelar esteja a mais de 18 bilhões de quilômetros da Terra, ou 123 vezes a distância entre nosso planeta e o Sol. Atualmente, as mensagens de rádio da Voyager-1 levam 16 horas para chegar ao nosso planeta.

 

A Voyager-1 caminha para se aproximar de uma estrela chamada AC +793888, mas só chegará a dois anos luz de distância da estrela – e levará cerca de 40 mil anos para fazê-lo. Na terça-feira, a União Geofísica Americana confirmou que a sonda teria deixado a heliosfera – a bolha de gás e campos magnéticos que têm origem no Sol.

 

Detecção de raios cósmicos
A Voyager-1 vinha monitorando mudanças no ambiente ao seu redor que sugeriam a proximidade da fronteira do Sistema Solar – a chamada heliopausa. A sonda havia detectado um aumento no número de partículas de raios cósmicos vindo do espaço interestelar em sua direção e, ao mesmo tempo, um declínio da intensidade de partículas energéticas vindo do Sol.

 

Uma grande mudança, que os cientistas chamaram de “heliopenhasco”, aconteceu em 25 de agosto de 2012.

As sondas espaciais Voyager 1 e 2 estão no espaço desde 1977 e viajaram, somadas, 33 bilhões de quilômetros Foto: Nasa / Divulgação
As sondas espaciais Voyager 1 e 2 estão no espaço desde 1977 e viajaram, somadas, 33 bilhões de quilômetros
Foto: Nasa / Divulgação

 

“Em poucos dias, a intensidade heliosférica da radiação caiu e a intensidade de raios cósmicos subiu, como era de se esperar quando se sai da heliosfera”, explicou o professor Bill Webber da Universidade Estadual do Novo México, em Las Cruces. A Voyager-1 foi lançada em 5 de setembro de 1977 e sua “sonda irmã”, a Voyager-2, em agosto do mesmo ano.

 

O objetivo inicial das duas sondas era investigar os planetas Júpiter, Saturno, Urano e Netuno – tarefa que completaram em 1989. Em seguida, elas foram enviadas para mais além no espaço, na direção do centro da Via Láctea. No entanto, suas fontes de energia, feitas de plutônio, devem parar de produzir eletricidade em cerca de 10 a 15 anos, quando seus instrumentos e transmissores irão parar de funcionar.

 

As Voyagers se tornarão “embaixadores silenciosos” da Terra enquanto se movem pela galáxia. Ambas transportam discos de cobre banhados a ouro com gravações de saudações em 60 línguas, amostras de música de diferentes culturas e épocas, sons naturais da Terra e outros sons produzidos pelo homem.

Metrô de NY terá telas touch interativas de 47 polegadas

As estações de metrô de Nova York vão ganhar até o fim do ano 90 quiosques com telas touchscreen de 47 polegadas
Foto: Divulgação

As estações de metrô de Nova York vão ganhar até o fim do ano 90 quiosques com telas touchscreen de 47 polegadas, que darão informações sobre trajetos de trens, agenda e atrasos de viagens e alertas em tempo real. O projeto é uma parceria entre a autoridade de trânsito de Nova York (MTA, na sigla em inglês) e a empresa Control Group. O teste deve atingir 2 milhão de passageiros por dia. As informações são da Fast Company.

 

 No futuro, o mapa deve trazer pontos de interesse para simplificar o uso por turistas. Foto: Divulgação
No futuro, o mapa deve trazer pontos de interesse para simplificar o uso por turistas.
Foto: Divulgação

O mapa que estará presente nas telas apresenta um sistema de navegação por toque: o usuário só precisa tocar na tela para ter seu percurso calculado, incluindo indicações de troca de trens e linhas no meio do caminho. No futuro, o mapa deve trazer pontos de interesse para simplificar o uso por turistas.

 

Além das telas, os quiosques terão câmeras de vídeo e microfones, permitindo uma comunicação bidirecional. Isso possibilita uma resposta a mensagens de emergência, além de identificar a lotação da estação ou dados etnográficos do usuário. Esses espaços contarão também com sinal Wi-Fi, permitindo transmitir conteúdo – desde mapas até vídeos e jogos – aos celulares e tablets dos usuários do metrô.