Curiosidade do Dia

Por que sentimos calor em temperaturas acima de 30 graus se a média do nosso corpo é 36 graus?

O organismo produz e libera calor quando realiza as atividades do cotidiano. Quando a temperatura externa é igual ou maior do que a do corpo, o organismo tem dificuldade em trocar calor com o ambiente. Nesse caso, o suor funciona como mecanismo de defesa, resfriando o corpo.

Anúncios

Star Trek | Réplica da Enterprise quase foi construída em Las Vegas

Executivo da Paramount vetou o projeto

Érico Borgo – Omelete
.
..

Enterprise

A cidade de Las Vegas, Nevada (EUA), quase construiu uma réplica em tamanho real da U.S.S. Enterprise, a icônica nave de Star Trek.

O projeto foi apresentado em 1992 à cidade como uma forma de revitalizar o centro decadente da capital mundial dos cassinos. O grupo Goddard planejava ter atrações dentro da nave, como restaurantes, brinquedos, museus e um hotel e cassino.

A novidade foi revelada há poucos dias pelo presidente da empresa, Gary Goddard, que comentou que todas as autoridades de Las Vegas foram favoráveis ao projeto e vários dos altos executivos da Paramount Pictures – dona da franquia – também o aprovaram, obtendo inclusive o financiamente para sua execução. Mas o CEO do estúdio, Stanley Jaffe, o vetou, já que, para ele, se um projeto dessa magnitude não desse certo ele ficaria ali para sempre, como um “lembrete do fracasso”.

Veja na Galeria Enterprise em Las Vegas imagens conceituais de como ficaria a nave no centro da cidade, que teria quase o mesmo tamanho do Edifício Empire State e seria maior que a Torre Eiffel.

Leia mais sobre Star Trek.

Medo de não ter o celular à disposição cria uma nova fobia

Pessoas sentem incômodo em pensar em ficar sem o aparelho. Foto: Getty Images

Pessoas sentem incômodo em pensar em ficar sem o aparelho
Foto: Getty Images


Sentir-se muito angustiado com a ideia de perder seu celular ou de ser incapaz de ficar sem ele por mais de um dia é a origem da chamada “nomofobia”, contração de “no mobile phobia”, doença que afeta principalmente os viciados em redes sociais que não suportam ficar desconectados.

Em fevereiro, um estudo feito com cerca de 1 mil pessoas no Reino Unido – país onde a palavra “nomofobia” surgiu em 2008 – mostrou que 66% das pessoas se sentem “muito angustiadas” com a ideia de perder o celular.

A proporção chega a 76% nos jovens de 18 a 24 anos, segundo uma pesquisa realizada pela empresa de soluções de segurança SecurEnvoy. Cerca de 40% das pessoas consultadas afirmaram possuir mais de um aparelho.

“O fenômeno aumentou com a chegada dos smartphones e de planos ilimitados. Cada um pode ter acesso a uma infinidade de serviços: saber onde está, se existem restaurantes nas proximidades, comprar passagem para o fim de semana, planejar a noitada, etc”, resume à AFP Damien Douani, especialista em novas tecnologias da agência FaDa.

“Há alguns anos, o SMS já era uma forma de nomofobia. Falávamos até da “geração de polegadas” para descrever quem enviava mensagens sem parar. Contudo, a internet móvel via smartphone, é o SMS 10 mil vezes mais poderoso”, explicou.

“O reflexo do Google foi transferido para o mobile: se preciso de uma informação e encontro resposta para tudo, isso é a facilidade encarnada”, ressalta Damien Douani.

 

Vício
Aproximadamente 22% dos franceses admitem ser “impossível” ficar por mais de um dia sem celular, segundo uma pesquisa realizada em março pela empresa Mingle com 1.500 utilizadores. Esta porcentagem chega a 34% entre os jovens de 15-19 anos.

Entre as pessoas consultadas, 29% afirmaram que conseguem ficar sem o telefone por mais de 24 horas, “mas dificilmente”, contra 49% que acreditam conseguir “sem problema”.

“Podemos compreender que as pessoas sejam viciadas em seus smartphones, pois elas têm toda a vida programada ali, e se, por acaso, perderem o aparelho ou ele quebrar vão ficar isoladas do mundo”, ressalta o escritor Phil Marso, organizador do Dia Mundial sem Celular, que acontece nos dias 6, 7 e 8 de fevereiro todos os anos.

“É uma ferramenta que desumaniza. Um dia na rua, uma pessoa que procurava um caminho me mostrou seu smartphone com o mapa da área na tela ao invés de me perguntar onde era a rua que procurava”, conta.

“Paralelamente a isso tudo, as redes sociais estão criando laços com as comunidades e há uma necessidade de constante atualização e consulta em todos os momentos. Se houvesse um pequeno contador em cada telefone contabilizando o número de vezes que cada pessoa acessa as redes, ficaríamos surpresos”, acrescenta Damien Douani.

Este especialista fala de uma “real extensão do campo de vício”: “Existe nessa síndrome “eu estou o tempo todo conectado”, “eu verifico meu telefone sempre que posso”.

“Estamos em uma sociedade robótica em que devemos fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Uma parte da população acha que, se não estiver conectada, perde alguma coisa. E se perdemos alguma coisa, ou se não podemos responder imediatamente, desenvolvemos formas de ansiedade ou nervosismo. As pessoas têm menos paciência”, segundo Phil Marso, autor em 2004 do primeiro livro escrito inteiramente em SMS.

“O smarpthone destruiu uma forma de fantasia. Tudo está disponível em uma tela e não há mais espontaneidade ou surpresa, como encontrar um restaurante sem querer. Nós estamos matando o inesperado”, acredita.

Fotografado em corrida ganha apelido de ‘cara absurdamente fotogênico’

Um jovem virou sensação na internet (vídeo) depois que foi fotografado correndo em uma prova de 10 km em Charleston, no estado da Carolina do Sul (EUA). Apelidado de “Ridiculously Photogenic Guy” (algo como cara absurdamente fotogênico), Zeddie Little, de 25 anos, ganhou várias páginas em sua homenagem no Facebook. Uma delas conta com mais de 2,9 mil fãs, enquanto outra soma mais de 2,7 mil seguidores.

Zeddie Little ganhou o apelido de 'cara absurdamente fotogênico'.  (Foto: Reprodução)
Zeddie Little ganhou o apelido de ‘cara absurdamente fotogênico’. (Foto: Reprodução)

Itália lança projeto multimilionário para salvar Pompeia


O governo italiano lançou um projeto multimilionário para ajudar a preservar as ruínas de Pompeia, um dos maiores tesouros arqueológicos do mundo. O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, lançou o plano de investimento batizado como “Projeto Grande Pompeia”, que deve contar com mais de US$ 100 milhões (R$ 182 milhões) em recursos da Itália e da União Europeia.

O anúncio chega em meio a crescentes preocupações de que o governo italiano esteja negligenciando a conservação das ruínas. Parte da “Casa dos Gladiadores”, por exemplo, desmoronou um ano e meio atrás. Roma estaria agora determinada a impedir que o processo de decadência continue. Localizada onde atualmente está Nápoles, a cidade romana foi enterrada há 2 mil anos por erupções do vulcão Vesúvio.

Recursos
A conservação das ruínas foi, em diversas ocasiões, alvo de críticas, em virtude da adoção de diferentes modelos de preservação arqueológica. Autoridades italianas foram inclusive acusadas por organismos internacionais de serem ineficientes. Agora, região poderá receber mais recursos.

Entre as primeiras ações financiadas pelo novo fundo estarão obras no que é conhecido como “Casa Sirico”, uma propriedade que teria sido de dois irmãos de uma família abastada. O projeto foi bem recebido por alguns dos críticos, como o grupo Italia Nostra, que faz campanhas pela preservação do patrimônio cultural do país. Para os ativistas o anúncio é um “excelente primeiro passo”, embora de acordo com suas estimativas a preservação total do sítio arqueológico custaria o dobro dos valores investidos.

Facebook compra aplicativo Instagram por US$ 1 bilhão

O Instagram aplica filtros em fotografias e virou sucesso nas redes sociais. Foto: Divulgação

O Instagram aplica filtros em fotografias e virou sucesso nas redes sociais
Foto: Divulgação


O Facebook anunciou a compra do Instagram por volta de 14h desta segunda-feira, horário e Brasília. A notícia foi dada pelo próprio perfil de Mark Zuckerberg no Facebook e depois compartilhada pelo blog do aplicativo.

Segundo o site Mashable, a compra foi o resultado de um acordo de US$ 1 bilhão, combinados em dinheiro e ações, que deve ser finalizada ao final deste trimestre. Ainda segundo o site, a equipe do Instagram irá se mudar para o Facebook.

No post do Facebook, Zuckerberg afirmou que não se tratará de uma integração com o Facebook. O objetivo é fortalecer o aplicativo e fazer o Instagram evoluir de forma independente, em vez “de simplesmente tentar integrá-lo a tudo que existe dentro Facebook”.

“É importante dizer que o Instagram não vai mudar. Nós vamos trabalhar com o Facebook para evoluir o Instagram e construir a rede. Nós vamos continuar a adicionar novas funções ao produtor e encontrar novas maneiras de criar uma experiência melhor com fotos”, lê-se na postagem do blog do Instagram feita pelo CEO Kevin Systrom.