Curiosidade do Dia

Por que os bebês regurgitam?

Nos primeiros meses de vida, o aparelho digestivo da criança ainda não está totalmente formado. Embora o estômago funcione perfeitamente, o esfíncter gastroesofágico – uma válvula situada entre o esôfago e o estômago, que normalmente se fecharia após a passagem do alimento – não funciona como num adulto.

Por isso é normal a criança regurgitar, deixando o alimento voltar ao esôfago e ser expelido em seguida. Em geral, o aparente incômodo pára de acontecer entre os 6 e os 18 meses de vida.

Into the Abyss | Assista ao trailer do documentário de Werner Herzog sobre pena de morte

Filme estreia nos EUA, em circuito restrito, no dia 11 de novembro

Marcelo Hessel – Omelete
31 de Outubro de 2011
__________________________________________________

Depois dos clipes, agora Into the Abyss, o novo documentário de Werner Herzog (Vício Frenético, O Homem Urso) depois de Caverna dos Sonhos Esquecidos, ganha o seu primeiro trailer.

O vídeo de dois minutos e meio tem um ritmo paciente e um senso de pesar que parecem combinar com o tema do filme:

No filme, o cineasta alemão entrevista não apenas condenados a morte no Texas – um deles, Michael Perry, foi executado oito dias depois do depoimento, sua pena por homicídio triplo – como também as famílias dos criminosos e os envolvidos nos casos.

Into the Abyss estreia nos EUA, em circuito restrito, em 11 de novembro.

Consumo de álcool pode ajudar mulher a sobreviver a ataque cardíaco

O consumo de álcool pode ajudar o coração das mulheres. Foto: Getty Images

O consumo de álcool pode ajudar o coração das mulheres
Foto: Getty Images

Às mulheres que bebem moderadamente, uma boa notícia: o consumo de álcool pode ajudar o coração. De acordo com um estudo da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, as que ingerem qualquer tipo de drinque algumas vezes ao mês ou até mais de três vezes por semana aumentam as chances de sobreviver a um ataque cardíaco. Os dados são do jornal Daily Mail.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores analisaram mais de 1,2 mil pacientes internadas por um ataque cardíaco. Perguntaram quanto consumiam, além de outros dados sobre estilo de vida.

Depois de pelo menos 10 anos de acompanhamento, constatou-se que 44% das que passaram longe do álcool tinham morrido, em comparação com 25% das bebedoras leves e 18% das bebedoras pesadas. Portanto, saborear a iguaria representou um risco 35% menor de morrer após um ataque cardíaco.

Médico: Lula tem 80% de chance de se recuperar de câncer

O médico Roberto Kalil Filho afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possui cerca de 80% de chance de se recuperar do câncer na laringe diagnosticado no sábado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. As informações são do Fantástico.

Saiba mais sobre os cânceres de Lula e Dilma
Lula completa 66 anos: lembre 66 frases memoráveis do ex-presidente

Questionado se o tumor teria sido descoberto ainda no início, Kalil disse que “não dá para dizer que foi bem no início, nem muito avançado”. Ainda de acordo com o médico, Lula recebeu a notícia de maneira “otimista e com força”. Do ponto de vista clínico, Lula está perfeitamente saudável, disse Kalil.

O câncer de Lula
Após queixa de dores de garganta, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou uma série de exames na noite de 28 de outubro. Na manhã do dia seguinte, foi divulgado boletim médico do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, informando que foi diagnosticado um tumor maligno na laringe, que seria inicialmente tratado por quimioterapia.

O câncer na região da laringe é mais comum entre homens e o de maior incidência na região da cabeça e pescoço. Os principais fatores que potencializam a doença são o tabagismo e o consumo de álcool. Já os sintomas são: dor de garganta, rouquidão, dificuldade de engolir, sensação de “caroço” na garganta e falta de ar.

SUB-17: Gurizada se complica na serra

O bom futebol que o time juvenil do Xavante vem apresentando neste Gauchão não foi suficiente para superar o Caxias, no primeiro jogo das oitavas de final da competição. Na tarde deste sábado, no estádio Centenário, o Brasil foi dominado pela equipe da serra gaúcha e levou 5 a 0 dos donos casa.

A classificação, agora, ficou complicada para a gurizada rubro-negra, mas ainda existe a chance de buscar a vaga na partida do estádio Bento Freitas, marcada para as 16h30 desta quarta-feira.

Imagem01

Foto: Carlos Insaurriaga

Samsung ultrapassar a Apple é caminho natural, diz analista

Samsung e Apple brigam por patentes em diversos países. Foto: AFPSamsung e Apple brigam por patentes em diversos países
Foto: AFP

A novela que acontece no cenário mundial entre a americana Apple e a sul-coreana Samsung ganhou mais um capítulo. E, pelo menos para uma dessas empresas, ele é dramático. Na última sexta-feira, a Samsung ultrapassou a gigante Apple no número de smartphones postos à venda. Enquanto a americana vendeu, de julho a setembro de 2011, 17,1 milhões de unidades, a asiática alcançou a quantidade de 27,8 milhões de aparelhos no mercado. Para o analista Bruno Freitas, do instituto IDC, em entrevista ao Terra, apesar de repentino, este é um movimento natural.

Para além de uma simples mudança de posições, a ultrapassagem merece atenção especial. A Apple é a responsável por inaugurar, com o então revolucionário iPhone em 2007, a categoria “smartphone” – o celular inteligente de acabamento sofisticado que trazia para o bolso do usuário um pequeno e potente computador pessoal. A Samsung, que tem mais de 70 anos de história, se arriscou neste mercado no início de 2010. É essa também a data que marca uma batalha, em escala mundial, travada entre as duas companhias. Elas brigam na Justiça, desde abril de 2011, por direitos intelectuais e de patentes justamente dos smartphones e dos tablets delas.

Há uma série de fatores que podem explicar a situação. Um deles é simplesmente porque o mundo hoje é diferente de 2007. “O mercado de smartphones se popularizou nos últimos anos. Muitos players (as empresas) diversificam o portfólio e, com isso, abocanham uma fatia de mercado maior. A Apple cresce, mas se mantém basicamente voltada a um mercado chamado de premium“, diz Freitas.

O que o analista quer dizer é que, na brecha de mercado da companhia fundada por Steve Jobs, concorrentes conseguem triunfar. “A Samsung conta com uma série de smartphones, que vão da linha premium mais sofisticada aos produtos low-endcom acabamento simples, que são mais baratos”, exemplifica Freitas.

O presidente da consultoria de telecomunicações Teleco, Eduardo Tude, também em entrevista ao Terra, acredita ser cedo demais para cantar a vitória sul-coreana. Para ele, o clima de atenção devido ao então afastamento de Jobs do cargo de CEO da Apple e os constantes rumores de um novo iPhone 5, que não se concretizaram, contribuíram para a queda na venda e a ascenção da concorrente. “As pessoas tenderam a esperar e não se arriscar em um período de dúvidas”, explicou Tude.

A Apple pode ter inaugurado uma categoria em 2007 e, até certo ponto, criado um mercado que é só dela. A questão é que, com o avanço e a popularização da tecnologia, ela fugiu das mãos da companhia da maçã e, de modo natural, se espalhou pelo mundo. O que a Samsung fez foi aproveitar oportunidades para expandir um mercado que, mesmo não tendo sido criado por ela, se adaptou e se tornou acessível em esfera planetária.

O sucesso do Android para o triunfo da Samsung
Se ainda pode parecer cedo para chamar a atual liderança da Samsung de um triunfo – uma vez que o mercado não está consolidado -, o sucesso do Android é inegável. O sistema operacional para dispositivos móveis do Google tem pouco mais de três anos de existência (foi lançado em 21 de outubro de 2008) e já está instalado na maior parte dos novos smartphones e tablets no mercado.

Tudo isso porque o Android não é o sistema proprietário de um fabricante – como é o iOS da Apple. Ele pode ser usado em diferentes marcas e modelos de dispositivos móveis. A questão é que, no caso da Samsung, ele foi o grande “salvador da colheita”. A maior parte dos smartphones e tablets da companhia sul-coreana vem com alguma versão do SO do Google. “Aqui, estamos falando de uma associação de marcas. São pelo menos Samsung, Android e Google, que, de uma maneira ou outra, faz parte do imaginário do usuário hoje”, afirma Freitas.

Somente a força da marca Android, no entanto, não explicaria os novos números. Em conjunto com a soma de nomes famosos na tecnologia, está a qualidade dos aparelhos da Samsung. O recente smartphone Galaxy S II, por exemplo, se impõe no mercado como direto concorrente do iPhone 4 e 4S em pelo menos três aspectos: preço, design e capacidade. “O know-how conhecimento da Samsung dos dispositivos móveis não pode ser desprezado”, diz o analista do IDC.