Curiosidade do Dia

É verdade que no Brasil não temos terremotos?

Não. Há registros de vários terremotos e abalos em território brasileiro, apesar do país não estar em cima de nenhuma falha tectônica. A maior parte dos fenômenos acontece na região norte.

Anúncios

Capitão América – O Primeiro Vingador | Crítica

Primeiro herói Marvel ganha filme mais preocupado com a história do que em ser parte de franquia

Érico Borgo – Omelete

Capitão América - O Primeiro Vingador

Capitão América – O Primeiro Vingador

Captain America – The First Avenger
EUA , 2011 – 124 min.
Aventura

Direção:
Joe Johnston

Roteiro:
Christopher Markus, Stephen McFeely

Elenco:
Chris Evans, Hugo Weaving, Hayley Atwell, Sebastian Stan, Dominic Cooper, Tommy Lee Jones, Stanley Tucci, Richard Armitage, Toby Jones, Neal McDonough, Derek Luke, Kenneth Choi, JJ Feild, Bruno Ricci, Lex Shrapnel, Michael Brandon, Martin Sherman, Natalie Dormer

3 ovos

Capitão América - O Primeiro Vingador

Quinto longa do Marvel Studios, Capitão América – O Primeiro Vingador é a última produção da empresa antes do filme-evento Os Vingadores.

A informação é mais relevante do

que parece, já que finalmente o Universo Marvel nas telonas pode ficar livre da necessidade crescente de amarrar suas mitologias, algo que recentemente tem parado a história que está sendo contada para fazer teasers e mais teasers do que vem a seguir.

Aos olhos de fã, a iniciativa era ótima,

mas quando analisada em retrospecto, fica claro que a Marvel começou a pesar a mão nessa amarração em detrimento da narrativa isolada. O que começou como inserções divertidas ao final dos filmes, recompensas aos leitores de longa data, acabou tomando o palco principal – o que só agrada totalmente a quem entende o cinema como plataforma de franquias.

Com todas as peças no tabuleiro para apresentar o filme de 2012, só faltava introduzir o rei, o primeiro super-herói da Marvel. E a ambientação na Segunda Guerra Mundial de Capitão América – O

Primeiro Vingador dá ao filme uma liberdade que até então só havia sido vista nos filmes do estúdio em Homem de Ferro.

Capitão América - O Primeiro Vingador

Sem a necessidade de empurrar agentes da S.H.I.E.L.D. ou cenas irrelevantes de heróis que aparecerão futuramente, o diretor Joe Johnston pôde explorar como se deve a história de Steve Rogers: centrando-a na jornada do personagem e seus aliados próximos.

A adaptação dos quadrinhos criados por Joe Simon e Jack Kirby em 1941 funciona mais como uma aventura inspirada nos clássicos de Steven Spielberg do que um filme de super-herói convencional. Os Caçadores da Arca Perdida vem à memória mais de uma vez e até a fotografia é parecida. Não custa lembrar que Joe Johnston despontou como técnico de efeitos na IL&M (trabalhando em Star Wars e no próprio Caçadores da Arca Perdida) e herdou Jurassic Park de Spielberg no terceiro longa dos dinossauros.Capitão América - O Primeiro Vingador

As referências ao Universo Marvel também são melhor trabalhadas (pisque e você perderá um certo herói da editora durante a World’s Fair ou a piadinha com o visual de Arnin Zola nos quadrinhos…), ainda que se gaste tempo demais trabalhando o pai do Homem de Ferro, Howard Stark (Dominic Cooper), em detrimento da relação entre St

eve e Peggy Carter (Hayley Atwell) ou Bucky Barnes (Sebastian Stan), que seriam mais relevantes dramaticamente. Os encontros e o confronto final entre o Capitão América e seu inimigo, o Caveira Vermelha (Hugo Weaving) também carecem de peso e sofrem o estigma do futurismo Marvel. São subaproveitadas e não apresentam desfecho, apenas um adiamento para outro filme.Capitão América - O Primeiro Vingador

Johnston também poderia ter dedicado-se um pouco mais às cenas de guerra. A Hidra, dissidência tecnológica dos nazistas, afinal, enfrenta soldados aliados em batalhas que ficam devendo em escala. Já que tinha a Segunda Guerra à disposição e seguia à risca a cartilha de Spielberg (que inclui uma trilha sonora a la John Williams), algumas cenas mais dramáticas e épicas, no tom de O Resgate do Soldado Ryan, teriam sido bem-vindas.

Equilibrando a balança está Chris Evans, que viveu o Tocha Humana nos dois filmes do Quarteto Fantástico, e realiza aqui seu melhor trabalho. Deixa de lado a canastrice e abraça a oportunidade de viver o ícone da Marvel. A tecnologia de O Curioso Caso de Benjamin Button, que deixou o ator franzino para o papel, é irretocável – e mesmo depois que o personagem passa por seu aprimoramento físico, através da Fórmula do Supersoldado, é o Steve Rogers corajoso e humilde que continuamos acompanhando. Não há um vislumbre sequer da sobrancelha caricata e sorriso de canto de boca que Evans encontrou para viver seus personagens anteriormente. Seu trabalho é especialmente apreciado na excelente sequência dos Bônus de Guerra, em que o herói é usado como garoto-propaganda para financiar a participação dos EUA no conflito.

Capitão América - O Primeiro Vingador

O bom elenco também conta com Stanley Tucci, que dá ao Dr. Abraham Erskine um carisma inexistente nos quadrinhos, e Tommy Lee Jones, cujo General Chester Phillips é responsável pelos pouquíssimos – e muito bem colocados – alívios cômicos.

Considerado um dos mais difíceis filmes da Marvel pelo sentimento anti-americano mundial (mercado em que os blockbusters têm obtido seus grandes lucros atualmente), Capitão América – O Primeiro Vingador consegue desviar-se desse tema delicado (um herói que veste a bandeira dos EUA), apresentar com sucesso o personagem e também amarrá-lo aos demais heróis. Mas o faz de forma a privilegiar seu próprio desenvolvimento, deixando a sensação de franquia em segundo plano. Com o palco montado para Os Vingadores e o público agora já acostumado ao funcionamento da Marvel no cinema, que o filme sirva como uma nova fase para o estúdio: com heróis isolados bem desenvolvidos em histórias próprias e os grandes crossovers focados em eventos sazonais, como o filme da superequipe. Não é assim que funcionam as revistas da Marvel há décadas, afinal?

Estudo: ser bilíngue ajuda a retardar sintomas do Mal de Alzheimer

Aprender um segundo idioma retarda os sintomas e ajuda pessoas bilíngues a lidarem com a doença por mais tempo. Foto: Getty Images

Aprender um segundo idioma retarda os sintomas e ajuda pessoas bilíngues a lidarem com a doença por mais tempo
Foto: Getty Images

Estudo propõe que o cérebro de pessoas bilíngues demora mais para desenvolver o Mal de Alzheimer. Noticiada pelo site Huffington Post desta quinta-feira (28), a pesquisa envolveu cerca de 450 pacientes diagnosticados com a doença. Metade era bilíngue e a outra metade não. O resultado surpreendeu: pessoas bilíngues estavam no mesmo nível de disfunção cognitiva de quem falava apenas uma língua, porém demoraram quatro anos a mais para dar sinais de que estavam doentes.

Aprender um segundo idioma retarda os sintomas e ajuda pessoas bilíngues a lidarem com a doença por mais tempo. Segundo os especialistas, o motivo é exercitarem um lado do cérebro que envolve partes do córtex pré-frontal e outras áreas consideradas a base da capacidade de pensar em maneiras complexas e importante para o pensamento e atenção. Mas os especialistas ressaltam: falar duas línguas ou mais não significa que você está protegido da patologia.

Evento sobre Harry Potter – Potter Fiction ocorre neste domingo, na Livraria Saraiva do Shopping Center Norte

Ocorre neste domingo, 31 de julho, na Livraria Saraiva do Shopping Center Norte, a Potter Fiction, evento sobre Harry Potter.

A produção do evento é do Grupo de Ficção Científica Alpha, grupo famoso pelos eventos Alpha Fiction, voltados aos fãs de ficção cient[ifica.

Não perca! É neste domingo! Abaixo segue a carta de promoção do evento:

____________________________________________________________

Você está convidado para a POTTER FICTION, dia 31 de julho – dia do aniversário da autora J. K. Rowling e de seu personagem mais famoso, Harry Potter. Confira abaixo a programação completa.

Evento Potter Fiction

Local: Livraria Saraiva Shopping Center Norte

Dia: 31 de julho, domingo

Horário: 14h00 as 19h30

Entrada franca. Estacionamento gratuito.

Como chegar ao local: http://www.centernorte.com.br/center-norte/pt-BR/text/localizacao-ce

Caso você vá de metrô, poderá descer na Estação Tietê – Av. Cruzeiro do sul, e pegar o ônibus Center Norte.

Evento Potter Fiction – Livraria Saraiva Center Norte – 31/7/2011

Programação*:

14h00 – Clip de abertura

14h05 – Abertura do evento

14h15 – Oprah Winfrey entrevista J. K. Rowling, autora dos livros de Harry Potter – Legendado

15h00 – Palestra “Astronomia no universo de Harry Potter”: Descubra de onde vieram vários nomes da família Black, e conheça alguns objetos relacionados à astronomia que são mostrados nos filmes.

15h30 – J. K. Rowling responde, em entrevista, perguntas sobre o futuro de seus personagens

15h40 – Intervalo

15h55 – Bate-papo sobre o último filme “Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte 2”

16h40 – Momento leitura – Conversando sobre os livros de Harry Potter e as várias cenas não filmadas.

17h00 – Intervalo

17h15 – Especial “Criando o mundo de Harry Potter – A magia começa.” Neste especial você verá, em cenas inéditas, o início da construção do mundo mágico, a escolha do elenco, e outros inúmeros detalhes que levaram ao estrondoso sucesso. Legendado

18h15 – Concurso de Cosplay sobre o universo de Harry Potter

18h35 – Vídeos diversos sobre o mundo mágico, os atores e suas carreiras.

19h15 – Sorteio de brindes

19h30 – Encerramento

*programação sujeita a alterações

Contamos com sua presença!

Guilherme Placca, ‘uma grata surpresa’

– Você está dentro de campo, em um jogo difícil, e, de repente, entra um garoto, com personalidade, ganhando a primeira dividida, dominando a bola com facilidade no meio de um gramado ruim, praticando um futebol de qualidade, com marcação forte, se postando dentro de campo… Realmente é gostoso de ver.

Este depoimento super empolgado foi do lateral-esquerdo Galego, falando sobre o jovem Guilherme Placca, após o amistoso do Brasil contra o São Paulo, disputado nesta quarta-feira, no estádio Aldo Dapuzzo. O experiente jogador do time rubro-negro, de 36 anos, ficou encantado com o futebol praticado pela guri que tem apenas 17, menos da metade da idade dele.

Imagem01Jovem Guilherme Placca chamou a atenção dos companheiros. Foto: Carlos Insaurriaga

O promissor volante vindo de São Paulo, que teve uma rápida passagem pelas categorias de base do clube Xavante e está treinando há menos de dois meses com o grupo profissional, recém fez a estreia dele no ‘time de cima’ nessa partida contra o rubro-verde de Rio Grande. E mesmo entrando apenas no segundo tempo, ele já começou com o pé direito, arrancando muitos elogios da comissão técnica e dos companheiros de equipe.

– O Guilherme foi uma grata surpresa nesse amistoso. Mas surpresa até ali, porque nos treinos ele também é um garoto que vem se dedicando bastante, é humilde, ouve todos os nossos conselhos, sempre fazendo o trabalho de forma correta, e jogador assim não tem como dar errado. O Guilherme é uma joia rara, que merece atenção e um cuidado especial, porque ele tem muito futuro – reforçou o camisa seis.

Um futuro que parece já estar traçado na cabeça do jovem atleta. Depois de se destacar no primeiro amistoso profissional da carreira, Guilherme Placca quer seguir aprimorando, evoluindo, e subindo todos os degraus que o mundo da bola pode oferecer.

– Eu sou novo aqui (no Brasil). Vim de São Paulo, através de uma indicação, comecei a treinar nas categorias de base, fui bem nos jogos e em duas semanas acabei subindo para o profissional. No começo fiquei um pouco nervoso, mas depois fui me soltando, fui apreendendo, e agora espero chegar cada vez mais longe – disse o garoto, que nunca se iludiu com o glamour dos badalados atacantes, porque já sabe o que quer desde muito cedo.

– Eu sempre joguei na posição de volante, tanto de primeiro, quanto de segundo. Mas a função em que eu me encaixo melhor é a primeira do meio-campo mesmo, para sair jogando, com tranquilidade, e poder distribuir a bola para os companheiros – explicou.

Imagem01

Jovem atleta ficou apenas duas semanas nas categorias de base da Baixada e já subiu para o elenco profissional. Foto: Carlos Insaurriaga

Para se vingar de ex, tuiteira vira musa do LingerieDay

@tchulimtchulim. Foto: Twitter/ReproduçãoA usuária Ana Carolina Rocha, que no Twitter é conhecida por @tchulimtchulim, é uma das tuiteiras que aparecem na abertura da página oficial do Lingerie Day (www.lingerieday.me). Em conversa por e-mail com o Terra, ela conta que participou da iniciativa pela primeira vez por vingança em 2010. “Eu entrei na brincadeira para me ‘vingar’ de um ex-namorado, tirei umas fotos e postei. No outro dia, a foto estava em 15 blogs, e eu havia ganhado mais de 1000 seguidores”, contou ela. Em novembro, o Youpix, evento de cultura digital, promoveu o concurso Miss Lingerie Day, do qual @tchulimtchulim saiu campeã por votação popular e ganhou um ensaio fotográfico feito por um fotógrafo profissional que acabou indo parar no site de uma revista.

Atualmente namorada de um dos criadores da iniciativa, que existe desde 2009, @tchulimtchulim conta que a ideia dos meninos era uma “crítica” aos dias comemorados pelos homens no Twitter, como por exemplo o Dia do Nerd e Dia da Toalha. Segundo ela, já na época, algumas mulheres não gostaram, mas muitas aderiram à ideia. Para Carol, como assina no Twitter, participar do #lingerieday é natural. “Adoro foto de mulher de lingerie e nu artístico, então eu virei o outro lado da coisa: eu gostava de ver e agora gostam de me ver”.

Este é o terceiro ano consecutivo em que o Brasil entra na “onda” do #lingerieday: durante 24 horas, tuiteiras postam fotos, a grande maioria sensuais, e só de lingerie. Neste 28 de julho, a hashtag começou a figurar nos Trending Topics Brasil antes do dia começar, e desde lá vem subindo e descendo na lista dos dez assuntos mais comentados do Twitter, tendo atingido o topo à meia-noite. Por volta das 10h, a hashtag #lingeriaday já tinha mais de 11 mil citações em todo o mundo. A brincadeira do #lingerieday foi criada pelos donos dos perfis do Twitter @morroida e @gravz e consiste na ideia das mulheres, em suas redes sociais, mostrarem, apenas por 1 dia, uma foto usando uma roupa íntima.

Neste ano, o site Lingerieday reúne as fotos postadas pelas usuárias e usuários do Twitter – homem também pode participar – e, via Twitter, pelo perfil @lingerieday -, realiza promoções e outras ações com patrocinadores. Em parceria com o site Não Salvo, o Lingerie Day preparou um concurso que vai dar para uma ou mais meninas um ensaio fotográfico temático do #lingerieday nas páginas da Revista VIP. O “Concurso Rainha do LingerieDay 2011” vai acontecer no Rio de Janeiro.

Segundo o regulamento da iniciativa, qualquer pessoa pode participar, desde que tenha lingerie. A ideia, obviamente, é explorar a lingerie ou roupa íntima, não havendo qualquer preferência por imagens produzidas. Além da página inicial com as fotos das participantes, o Lingerie Day tem uma seção chamada “Escondidinhas” para divulgar fotos de quem pretende curtir a brincadeira, mas por algum motivo – namorado ciumento, emprego ou família – não usa seu próprio perfil no Twitter.